Intoxicado pelas próprias atitudes

0
133

Uma pessoa considerada madura e ponderada deve conseguir colocar a razão, frente a emoção. Embora possa parecer fácil para alguns, são raros os casos em que alguém consegue suportar as pressões diárias sem ter as emoções abaladas de alguma forma. Vivemos num momento em que muitas pessoas abrem mão de cuidados com sua saúde em longo prazo, para buscar mais resultados financeiros e materiais, em curto prazo, onde fica mais difícil agir de forma mais temperada, moderada e equacionada, com ações e atitudes sabiamente controladas para uma vida pacífica e harmônica com os que o rodeiam.

A inteligência emocional já foi muito mais comentada e escrita do que atualmente, mas a falta desta inteligência segue dificultando a vida de muita gente, desempregando ótimos curriculuns e atrasando o desenvolvimento de negócios e pessoas. Todavia, não é possível gerar mais inteligência emocional de forma rápida. Para quem tem alguma dúvida, sugiro uma pequena reflexão sobre quantas pessoas você conhece, que não aceitam ser contrariadas em suas propostas, ideias e argumentos, assim como quantas amizades sabemos que foram desfeitas quando uma parte foi sincera ao emitir uma opinião mais contundente, e ainda, quantas pessoas revidam da mesma forma, algo que entenderam como sendo um ataque. É preciso lembrar ainda que aqueles que tem muito orgulho, são egocêntricos e vaidosos terão bem mais dificuldade de alcançar a resiliência, pelo fato de colocarem foco em outros pontos como por exemplo, se importar demais com a ignorância alheia.

Para não ser intoxicado pelas próprias atitudes nem pelas atitudes alheias que não contribuem com o seu desenvolvimento pessoal e profissional, é preciso criar um escudo emocional que suporte eventos ruins e desconfortos das mais diversas formas. Para ter resiliência, não abalar-se tanto e por tanto tempo com dificuldades na vida e na profissão, é preciso esforço continuado e a vida toda. Uma criança cujos pais (tios, avós) a protegem tanto a ponto de tentar evitar qualquer dificuldade, não está sendo preparada para os desabores da vida adulta certamente trará e nestes casos, terão maior impacto.

Quase todas as conquistas que desejamos exigem esforço, dedicação e alguns  sacrifícios, com paciência e muita tolerância. Quem consegue ter mais paciência e tolerância pode sofrer mais no início, para trilhar um caminho mais tranquilo, com bons frutos a longo prazo. Quem não domina a intolerância tende a não ter grandes problemas a curto prazo, porém dificilmente terá recompensas futuras, pois não é possível colher muito sem ter plantado boas sementes.

Finalizo com algumas sugestões a partir de um conjunto de textos sobre resiliência, pelas quais pode-se evitar a intoxicação com as próprias ações e atitudes:
– ter mais esperança em si e nas pessoas ao seu redor;
– evitar se preocupar com as picuinhas;
– usar as críticas a seu favor;
– gerir bem as situações desconfortáveis;
– evitar situações cuja probabilidade de trazer disabores são grandes;
– não negociar as situações em que você mais acredita;
– bloquear os seus ímpetos negativos, e se possível, dos mais próximos;
– enfrentar seus medos para ganhar mais energia e coragem;
– amar e compreender ao próximo;
– corrigir os erros o mais rápido possível e evitar valorizar demais suas dificuldades;
– aprender a ser criativo/a e usar a criatividade a seu favor;
– valorizar o que você já possui e que faz a sua felicidade.

Desejando uma vida mais resiliente a todos os leitores, um abraço e até a próxima!