Líder ou sabotador?

0
124

A provocação é forte e é para chamar a atenção de como as pessoas na posição de gestoras podem ser líderes de processos, ou até sem querer, sabotadoras de sua equipe. Conforme já escrevemos nesta coluna, o líder deve ser um facilitador do desempenho das pessoas e compartilho aqui alguns pontos que reforçam este entendimento.

O consultor e escritor Alexandre Prates em entrevista para a revista Venda Mais, na edição maio de 2014, apresenta pontos de sua pesquisa com mais de 5mil profissionais de diferentes áreas, com questões abertas sobre os fatores que mais prejudicam o desempenho profissional. O estudo visa mostrar os pontos em que o gestor pode ser o líder que conduz a equipe e a organização para o desenvolvimento mútuo e o sucesso, como também pode ser, até sem querer, o sabotador do desempenho da equipe e da empresa.

A partir do conceito “Antes de alterar as ações, altere as percepções e as ações acontecerão.”, o autor enfatiza a necessidade de cada um de nós, líderes ou liderados, mudarmos primeiro internamente para que depois as mudanças exteriores ocorram verdadeira e solidamente. Assim, você deve estar ciente de que quando você quer mudar o desempenho de um ou mais de seus colaboradores, você deverá trabalhar para que seja mudada a forma como ele, ou eles veem a organização e seu posicionamento como líder.

Com este conceito, é preciso avaliar o nível de interferência do líder na ação do liderado, pois se for além da medida, prejudicará o desempenho do profissional, ou dos profissionais afetados pela ação de interferência. O estudo citado mostra que os líderes que obtém melhores desempenhos de suas equipes vêm trocando a pergunta “Como motivar minha equipe?” por “O que impede minha equipe de se engajar com a empresa?”
Para obter um maior engajamento das equipes, o estudo mostra que as organizações devem responder algumas questões que todos os profissionais se fazem a respeito do lugar onde trabalham:

– Onde a empresa quer chegar? Vale a pena? Vai ao encontro dos meus ideais?

– O meu líder confia em mim? Ele se preocupa com o meu crescimento profissional?

– Onde a empresa quer que eu chegue?

Quando as respostas das questões acima não estão claras o suficiente, a visão de futuro dos profissionais fica turva e eles têm dificuldade de se motivar. Prates também recomenda o desenvolvimento de 3 questões fundamentais para aumentar a motivação e o comprometimento das equipes:

– senso de participação – as pessoas têm necessidade de se sentirem parte de alguma coisa, principalmente, que fazem parte das decisões da organização e que suas opiniões além de serem ouvidas, são levadas em conta;

– senso de realização – mostre a cada dia que o trabalho da pessoa é fundamental para a empresa;

– senso de reconhecimento – o reconhecimento move ações e traz autoestima, por isso, ofereça prontamente e constantemente um feedback, pois as pessoas precisam do reconhecimento dos outros.

A reflexão precisa ser muito mais profunda para que você consiga avaliar melhor os que impede o desempenho do seus liderados e como promover eficiência e produtividade, mas espero que estes pontos possam despertar um entendimento diferente de líderes e liderados. Desejando mais ação, engajamento e produtividade na sua equipe, um abraço e até a próxima!