O que está vendendo agora?

0
353

Durante as crises, o dinheiro troca de mãos mais rápido! Isso mesmo, não evapora, não é queimado, nem rasgado ou descartado, evidentemente, mas sai dos bolsos de alguns e vai para as contas de outros. É uma constatação de todas as crises e nesta especialmente prolongada, e em pleno uso de vasto volume de tecnologia da informação, é possível ver mais claramente para onde vai o dinheiro.

A população mudou seus hábitos diários e isso impactou o consumo, sendo que algumas fontes permitem identificar e quantificar estas mudanças. Para uma grande quantidade de consumidores e famílias que tiveram a renda preservada, mas não podem viajar, ou passear pela cidade, nem ir a parques, cinemas, shoppings, shows, bailes, feiras, a realidade é de busca por atividades que substituam suas rotinas anteriores. Como vender para eles? É preciso dar ideias que ocupem o tempo e envolvam a família, preferencialmente. A seguir, traço algumas observações e informações oriundas de estudos como o relatório do BTG Pactual e outras, baseadas em fontes como Decode, SEMrush, Google Trends, dentre outras.

Algumas corporações mundiais estão vendendo produtos e serviços como nunca sequer imaginavam. Por exemplo, o leitor de ebooks Kindle aumentou as vendas em 80% no Brasil, nestes primeiros meses de 2020. Estima-se que entre fevereiro e março 40% da população brasileira acessou o Youtube, com tempo médio de permanência calculado em 35min. Os aplicativos de música Deezer e Spotify foram baixados em 6 milhões de dispositivos. A Netflix aumentou em 29% o volume de downloads, e 65% o volume de buscas entre março e abril, enquanto a Globo Play teve um aumento de 68%, frente aos 96% da Prime Video. Os aplicativos para atividade física aumentaram incrivelmente, sendo que os três maiores (BTFIT, Nike e Adidas training) registraram aumentos médios de 291% nas buscas entre fevereiro e março.

Pesos (halteres) e elásticos tiveram aumento de procura em 100%, sendo que o interesse por colchonetes de atividade física teve 82% de aumento e aluguel de esteiras, impressionantes 572%, neste período da pandemia. A busca por preços e opção de conjuntos de home theater cresceu 160% e consoles de videogame, 60%. Todavia, os jogos e entretenimentos tradicionais viram revitalizar muito as buscas, tendo aumento de 300% na busca por mesas de sinuca, 101% nos jogos de tabuleiro, 98% quebra-cabeças e 70% as mesas de ping pong. Você tem alguns destes produtos para vender ou alugar? Já colocou na vitrine física? Caprichou nas fotos e detalhes das redes sociais da loja?

Os produtos que se caracterizam pelo cuidado com a pele tiveram aumento de procura em 66% do dia 18 de março, até 30 de abril. Nem preciso dizer aqui que os recordistas em buscas são álcool gel e máscaras de diferentes tipos. Outra informação já esperada é o aumento de vendas das farmácias e drogarias em 12%. Neste setor se destacam os ansiolíticos, com aumento de 50% na procura.

Na cozinha, especialmente, mas para todas as áreas de casa se observa aumentos consideráveis de buscas. Pesquisas por receitas gourmets, especialmente aquelas que podem ser curtidas em família aumentaram significativamente. Ingredientes gourmets estão em alta e devem ser priorizados na exposição física e virtual para quem quer vender mais. A procura por vinhos, por exemplo, aumentou 15%, de acessórios 38% e outras informações sobre vinhos 60%.

A busca por informações sobre alimentos que “aumentam a imunidade” cresceu 130% a partir de 12 de março deste ano. A busca por lava-louças aumentou 170%, enquanto que mini forno elétrico aumentou 150%, liquidificador +80%, batedeira +40% e fogão +32%. Sua empresa tem alguns destes produtos para vender? Como você e sua empresa estão apresentando estes produtos aos clientes nas redes sociais, nas vitrines físicas, ou na exposição interna?

Muitos outros produtos e serviços passaram a ser mais procurados, mais vendidos, muitas vezes em substituição àqueles que tiveram as atividades impedidas por diferentes razões. Semana que vem continuamos apresentando oportunidades de negócios na pandemia. Vamos em frente com criatividade e fé!

Um abraço, desejando dias melhores!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here