Resiliência para seguir em frente

0
118

“O melhor atendimento de todos não é você sorrir para o cliente, mas conseguir que ele sorria para você.” A frase que compartilho esta semana com os amigos leitores é do escritor Barrie Hopson.

Resiliência para seguir em frente

Você já percebeu que dentre as pessoas que sofrem importantes abalos emocionais, algumas se desequilibram para o resto da vida, outras demoram um bom tempo para equilibrar-se novamente, enquanto outras se refazem rapidamente e seguem em frente com normalidade?

A capacidade de retornar ao seu equilíbrio emocional após sofrer grandes pressões é chamada de resiliência. Este conceito vem da física, pois quando um material tem a capacidade de voltar ao estado normal depois de ter sofrido uma tensão, ele é chamado resiliente.

A resiliência é uma característica muito importante no mundo corporativo, onde o profissional passa por fortes pressões, discussões acirradas, eventuais decepções, dificuldades com determinados grupos, competição de várias formas e lados. A importância de desenvolver esta característica nos profissionais deve-se a um número cada vez maior de estudos que mostram que as pessoas com boa resiliência fazem escolhas mais sábias para lidar com as contrariedades que surgem na vida pessoal e profissional.

Você pode identificar as pessoas não resilientes quando ouve delas frases como “alguém lá em cima está contra mim”, “não foram com a minha cara”, “devem ter trapaceado”, dentre outras que sempre atribuem a razão de um fracasso a questões que não estão ao seu alcance. Se não está ao seu alcance não há o que fazer, certo?

Por outro lado podemos identificar pessoas resilientes quando ouvimos: “não avaliei todas as possibilidades”, “desta vez, foram melhor do que eu”, “não me esforcei como deveria nesta ação”, “deixei de fazer aquilo e deu nisso”, “fui arrogante e não dei a devida atenção”. Quem tem atitude para assumir e resolver o que não funcionou na sua vida consegue corrigir seus atos, recuperar suas posições e superar as condições anteriores de forma mais sábia, tranquila e inteligente.

Em muitos casos jamais saberemos as verdades dos fatos, então é preciso nos treinarmos para pensar em algo que nos deixe com mais condições de reagir positivamente. Quando conseguirmos isso, já será a metade do caminho.

A seguir trago alguns pontos compilados pelo consultor João Alberto Costenaro, a partir do estudo de diversos autores, para que possamos desenvolver mais a sua capacidade de resiliência:

– Comece por colocar objetivos para sua vida. Talvez para os próximos 5 anos. Sonhar com eles lhe fará bem;

– Pratique exercícios. Uma boa força física lhe faz poderoso;

– Se os problemas ficam remoendo você, aprenda técnicas de relaxamento e meditação. Deixe o preconceito de lado;

– Mantenha-se estudando e dê preferência a alguma coisa ligada a seu trabalho ou ao desenvolvimento pessoal. Isso turbina sua autoestima;

– Pratique o senso de humor. É um bom jeito de desarmar os pessimistas;

– Use a criatividade. Quando algo não deu certo, tente de outra maneira. E de outra, outra, outra, …. Mesmo que isso lhe incomode, mude com frequência seus hábitos: caminhos, horários, alimentação, leituras, programas de TV e de diversão.

Com esta breve reflexão, desejo que você possa desenvolver cada vez mais a sua resiliência. Um abraço e até a próxima!’