A barata…

0
120

De repente escuto um grito….

Elis foi tomar banho, e o grito vinha do banheiro…

Outro grito…

Mais um grito….

Então perguntei:

– Precisa de alguma ajuda querida?

– Tem uma barata enorme aqui!!!!

(Humpf… Mulheres… aposto que é uma baratinha. Um filhote de barata, quase uma pulga e, lógico, um baita escândalo…)

Mais um grito… Vou ter que ir lá e ver o que está acontecendo…

– Faz alguma coisa! – ela grita brava.

Abri a porta do banheiro. Enrolada na toalha e agarrada em um tubo de “Bom Ar”, ela pulava e gritava apontando o aerosol para todos os lados…

– Deixa para mim, meu amor… – falei com tom maduro, seguro, de homem da casa..

De repente uma MEGA BARATA aparece…

Dei um passo para trás… (só para impressionar, claro). Ela era muito grande, nossa. A mãe de todas as baratas…

– Não vai fazer nada? – ela gritou de novo

– Vou sim, claro. Se você deixar eu me concentrar. Você fica gritando e me atrapalha. Ela sumiu. Onde ela está agora ?

– Debaixo do tapetinho…

– Tudo bem, vou mexer o tapete e ela sairá correndo, então mato ela. Relaxa.

Me aproximo do tapete lentamente… um silêncio descomunal paira no ar. Mexo o tapete com a ponta do chinelo e então ela aparece e atravessa o banheiro quase que na velocidade da luz..

Elis grita de novo… E de novo, mais alto… Por que as mulheres gritam??

– Não grite ! Assim perco a concentração… esbravejei.

Peguei o bom ar. Agora estou armado. Onde está a barata?

– Debaixo do balcão – ela aponta.

Aciono o “Bom Ar” e ela finalmente saí do banheiro para o corredor, correndo. Elis grita de novo. A barata passa por Elis e vem na minha direção. A porta do banheiro se fecha e ela grita:

– MATA ELA !

Eu, no corredor, com a barata correndo, e de chinelos….

(silêncio profundo)

 

Barulho estarrecedor de um chinelo.

– Matou??? – ela pergunta.

– Claro! – respondo.

Ela abre a porta. Estou de cabeça erguida, peito pra frente, barriga encolhida, com pose do guerreiro “Conan O Bárbaro”…

Então, espero que ela diga que sou seu herói e ela diz:

– Agora limpa…

(Humpf… mulheres…)