Mensaleiros…

0
120

Tenho evitado escrever sobre política, porque se escrevo, sempre alguém reclama. Em outras oportunidades manifestei minha opinião e algumas pessoas mais exaltadas chegaram a ligar para as redações dos jornais para reclamar. Falar sobre política é sempre assim, cria problemas…

Mas, depois de uma semana como a que passou, é impossível não tecer algumas linhas sobre as prisões realizadas no famoso caso do “Mensalão”! E que fique bem claro, que não vou falar de partidos. Se existiram outros “mensalões”, que sejam averiguados e julgados, como foi este. Afinal, a corrupção é algo que deve acabar, pois ela é nojenta!

Realmente, poucos acreditavam que aconteceriam as prisões das pessoas envolvidas em um dos maiores casos de corrupção que este país já viu. Para quem não lembra, “mensalão” foi o nome dado ao escândalo noticiado pela revista Veja em 2005 sobre a compra de votos de deputados federais, pelo governo federal, para aprovar os projetos de lei de seu interesse. Na época, Lula era o presidente e José Dirceu o ministro-chefe da Casa Civil. O escândalo atingiu fortemente algumas pessoas vinculadas aos partidos que estavam no poder. Contra o ex-presidente Lula, nada foi provado, porém muitos de seus companheiros ficaram em situação complicada.

Com a condenação das pessoas envolvidas no escândalo do mensalão, começaram as discussões sobre recursos e outras teses de defesa, o que dava a impressão de que tudo resultaria em pizza. Porém, surpreendentemente, no feriado do dia 15, o presidente do Supremo Tribunal Federal, maior corte da República, determinou a prisão dos envolvidos por entender que o julgamento de alguns crimes estava encerrado. Uma grande surpresa!
Não entro no mérito de partidos. Não. Apenas acredito que, se existiram provas e estas foram analisadas, e houve um julgamento, não se discute a culpa. Daí alguém vai dizer que o julgamento foi político…

Bom, então vamos analisar quem são os julgadores, os Ministros do Supremo Tribunal Federal. Quem são? São pessoas nomeadas pelo presidente da República. A maioria dos atuais ministros foram nomeados pelo ex-presidente Lula e pela atual presidente Dilma. Se o julgamento fosse político, por que haveria condenação dos réus, se os julgadores foram nomeados por pessoas vinculadas ao próprio partido?

Houve sim corrupção! Houve sujeira, e da grossa. Tão descarada que foi descoberta e julgada com várias provas. Não há o que negar.
Claro que alguém vai dizer que sempre houve corrupção no país. Que existiram outros mensalões e fala-se no “mensalão tucano” também. Pois se houve, que seja apurado e julgado, como este foi. O que não dá para aceitar e pedir a inocência dos réus apenas porque sempre foi assim, porque sempre teve corrupção, porque “todo mundo sempre roubou”. Corrupção deve ser combatida, não interessa o período em que ocorreu, se hoje, ou ontem, se ocorreu, deve ser julgada.

Estamos todos cansados de assistir o governo bater recordes de arrecadação de impostos e alegar que não ter dinheiro para investir. Por outro lado, a corrupção segue existindo, e se ela se mantém viva é porque existe dinheiro sobrando.

Aliás, corrupção só existe porque existe também muito dinheiro e principalmente porque se demora muito tempo para sentir a falta dele, quando desviado. Não existe um controle rigoroso. O rigor está apenas na arrecadação…