Sem rastros, sem vínculos…

0
122

Ela resolveu procurar um advogado. Sentia-se enganada, vítima de um golpe amoroso. O advogado então pediu que ela contasse com detalhes o ocorrido, para analisar o caso…

Então ela desabafou: Teria se envolvido com um homem e pensou ter encontrado o amor de sua vida. Juntos construiriam uma família. Apaixonada, então, ela resolveu lhe repassar valores, para que ele comprasse um apartamento. Lá seria o ninho do casal…

Segundo a moça, ela teria repassado R$ 67 mil ao homem, quando teve a grande decepção de sua vida. Ele era casado e morava com a esposa e filhos. Pior que isso, ela descobriu que ele não tinha intenção de se separar.

Com base nos números do cheques que ela havia repassado ao seu suposto namorado, o seu advogado entrou com o processo contra o homem, alegando que a sua cliente havia sido vítima de um golpe amoroso e pediu a devolução do dinheiro.

Durante o processo, ficou comprovado realmente que existiam vários cheques emitidos pela mulher em favor de terceiros. Estes cheques comprovavam transações da empresa de propriedade do réu, mas não apresentavam vínculos diretos com ele pessoa física.
Ela ainda apresentou um documento demonstrando que ambos, juntos, haviam adquirido um veículo, e que isso era a prova da existência de um relacionamento entre eles.

A juíza de Lajeado/RS estudou bem o caso e não encontrou provas do relacionamento amoroso entre eles. Apenas a comprovação dos cheques dela que a empresa dele usou para realizar pagamentos.

Sem provas, a juíza não aceitou as alegações da moça e negou o seu pedido.

Indignada ela recorreu ao Tribunal de Justiça em Porto Alegre e nesta semana a 10ª. Câmara Cível manteve a decisão da juíza de Lajeado por não existir provas que comprovasse o vínculo afetivo entre a mulher e o homem. Apenas uma relação comercial. (Fonte: TJRS dia 07/08/2012)

Buenas… Nem uma fotinho que comprovasse um jantarzinho? Na era dos telefones com câmeras qual o casal de namorados que não possuí ao menos uma foto juntos? Vínculos de afeto são demonstrados exatamente em momentos a dois, seja em um evento, em uma reunião de amigos, ou um jantar. Além de fotos, normalmente namorados tem amigos, que se reúnem e conversam. São testemunhas do enlace. É desta forma que se prova a existência de afeto, de carinho, não apenas com os cheques emitidos…

Nunca saberemos se houve ou não alguma relação de afeto entre a moça e o homem casado, e se houve, uma coisa é certa: não deixaram rastros…

Das minhas leituras da madrugada: “O cônjuge ideal é aquele que é fiel, mas mantém o charme de quem não é”.- Saha Guitry