Tragédia em Barra do Guarita…

0
141

A triste e trágica notícia do assassinato de uma menina de 7 anos no município de Barra do Guarita chocou não só a comunidade regional, foi destaque em todo o estado.
Ela brincava próximo a um campo de futebol, tranquila. Ao chegar em casa, lembrou que tinha deixado uma boneca no local. Resolveu voltar para buscar. Quis o destino que lá estivesse um índio, condenado pela justiça pelo crime de estupro e roubo em 2007 e por homicídio em 2009. Cumpria pena no regime semiaberto e estava foragido do sistema prisional.
Assustada ela fugiu e o homem de 23 anos a seguiu. O fato chamou a atenção de algumas pessoas, mas ninguém procurou saber o que estava acontecendo.
Finalmente o bandido alcança sua vítima. Ele a espanca, estupra e depois desfere um golpe mortal na sua cabeça. Deixa o corpo ali, jogado, e segue sua vida…
A família sem saber de nada, procura pela menina. Finalmente ela é encontrada, ainda com vida, às margens de um riacho. É levada às pressas para o hospital. Médicos lutam para tentar reanimar a criança. O caso, muito grave, necessita de mais estrutura. Tenta-se um leito em hospitais de cidades maiores. Não existem vagas…
No outro dia, pela manhã a menina morre…
A polícia civil, sempre dedicada nas investigações, consegue identificar um suspeito. Ele então confessa o crime. “Fiz besteira”, disse o homem, que alegava estar sob efeito de maconha…
A pequena comunidade, revoltada, cerca a delegacia de polícia. A área onde o índio estava acampado foi destruída.
A minha pergunta é: um indivíduo destes tem alguma possibilidade de ser novamente inserido em nosso meio social?
Se ele cumprir as penas pelos crimes que cometeu e for novamente solto, estará curado? Pensará diferente?
Duvido. Pessoas com este currículo sempre serão uma ameaça para a sociedade. Ao meu ver, nunca deixarão o crime. Sempre estarão aguardando uma nova oportunidade para se jogar novamente na senda do mal.
A lei é leve e permite que o bandido deixe o presídio para trabalhar durante o dia com o compromisso de retornar à noite (este não voltou e fugiu). Bandidos andam soltos usando drogas e cometendo novos crimes. Os hospitais tem pouca estrutura para tentar salvar as vítimas destes crimes e quando se precisa de um hospital melhor, não existem vagas…
Que mundo é esse?
Por que pagamos tantos impostos, em tudo que consumimos e sobre tudo o que produzimos, e não temos um país melhor?
Temos que refletir mais, sobre o mundo em que vivemos e o que podemos fazer para tentar deixar um local melhor para as gerações futuras. As tragédias, infelizmente, acontecem mais perto de nós, do que podemos imaginar…