Dos sentimentos dela no Dia dos Namorados

0
122

Suave Caminho
Mário Pederneiras

Assim… Ambos assim, no mesmo passo,
Iremos percorrendo a mesma estrada;
Tu – no meu braço trêmulo amparada,
Eu – amparado no teu lindo braço.

Ligados neste arrimo, embora escasso,
Venceremos as urzes da jornada…
E tu – te sentirás menos cansada
E eu – menos sentirei o meu cansaço.

E assim, ligados pelos bens supremos,
Que para mim o teu carinho trouxe,
Placidamente pela Vida iremos,

Calcando mágoas, afastando espinhos,
Como se a escarpa desta Vida fosse
O mais suave de todos os caminhos.

– “Eu precisava dizer para ti esse poema, meu adorado. Sei que tu não vais entender esta angústia. Angústia não é para ser entendida mas para ser sofrida. Então, por que me olhas desse jeito? Tudo o que posso oferecer é nada perto do que gostaria de dar. Isso ajuda? A mim, não, pois que essa é a dor de te sentir e esse mistério nos teus olhos. No entanto, sei que palpita ali uma criatura que pode estender a toalha e dizer: – “Senta, esta é a ceia que quero compartilhar contigo”. Mas pode ser, também, que diga: – “Senta, este é o cálice que devemos beber juntos”.

Posso rejubilar-me na ceia, e posso beber a amargura do cálice. O que eu não posso é adivinhar o que vem depois, se o remorso de mil pétalas esmagadas ou se a alegria de ter vivido mais um pouco essa louca aventura de ter ignorado o tempo e a hora de me entregar. Uma coisa posso garantir a mim mesma: tudo será como um mundo que nem eu nem tu conhecemos. Um mundo que está acima e além de nós mas que, depois de descoberto, viverá em nós como uma das células que compõem nossas carnes. Viverá, integrando-se naquilo que nós somos e por que somos.

Tu me beijas, agora. Os olhos fechados não veem as promessas que eu coloco nos lábios. Mas, peço-te, não me condenes a ficar sonhando! Minha fragilidade é tamanha que não há lugar para devaneios depois que este suor começa a umedecer cada centímetro da pele. A matilha aprisionada dos instintos urra por uma liberdade que não pode ser condicional.
Demoradamente sua.”