Traduzir do português para o português

0
129

Quem lida com as letras e não é um poliglota, um dia vai precisar de um profissional para traduzir uma carta, um texto, um parágrafo ou até uma palavra. Traduzir de uma língua estrangeira para o nosso vernáculo, para que se entenda sem nenhuma dúvida o que está escrito.
Essa necessidade de tradução fiel aplica-se, hoje, em manuais de instalação e de uso de aparelhos eletrônicos e outros, geralmente fabricados na China, no Japão, na Coréia e em outros países de onde o Brasil importa esse tipo de equipamento de que falo. E, pelo que já vi e ouvi, quando tais equipamentos seguem o caminho legal de importação, os manuais de instalação e de uso acompanham com a devida tradução correta, ou pelo menos entendível. Mas quando esses caminhos de importação não são os legais, digo via Paraguai ou outros que nem sei por onde cruzam, a tal tradução é um escambau. Vejam que barbaridade!

Dias passados, ganhei uma lanterna, pequena mas formidável, que traz um selo com o nome do importador, código de barra e o país de origem: china (assim, com letra minúscula). Já dá para desconfiar. Dentro da caixa com a lanterna e um carregador, estão as Características e as Notas de Uso, em português.

Em português? Pode ser, mas, francamente, não sei se é para fazer rir ou chorar ou se preciso de tradução. Olhem aí abaixo e vejam se podem me ajudar.

Características

• O produto de liga de alumínio por via aérea, resistente à água, compressão, até 100.000 horas de vida da lâmpada.
• O produto usa três pilhas AAA ou uma 18650 baterias recarregáveis, recarregável de bateria 1.000 minutos de iluminação sustentável 360 ou mais. 1800 mA carregador portátil, fácil de transportar.
• Rotação da cabeça para ajustar o zoom escurecimento.
• Terceira engrenagem da cauda saída da função switch: primeiro pressione: saída de luz alta; pela segunda: saída de luza baixa, de acordo com o terceiro: fazer luzes de alerta piscando.
• Aço clip, fácil de transportar.

Notas de uso

• Não carregue direcionar os olhos claros, de modo a não danificar os olhos.
• Evitar as frequentes desmantelamento lâmpada reflectora, ou uma tampada para evitar danos.
• Após a utilização com um pano limpo e macio para limpar a tocha.
• Intrusão de produtos corrosivos líquidos, o olhar oportuna limpa e seque.
• Como a cabeça ou tampa de cauda toque pobre quando graxa muitos revestido na interface.
• Lanterna depois de parar de usar a bateria para fora, colocando em lugar fresco e seco.
• Evite a luz solar ou colocado em ambiente de alta temperatura.

Depois de uma leitura atenta, certamente vão aparecer sociolinguistas modernos justificando essa “nova Língua Portuguesa” com a argumentação de que “dá para entender”. Tudo bem, acho que dá para entender, mas dá, também, para dar umas boas risadas. Não é de hoje que a correção da linguagem não importa mais. “Tando mais ou meno, tá loco de bom”, diz uma canção gauchesca por aí. É a involução evoluindo. O lixo não está tomando conta só do planeta: da nossa linguagem, também.