A crítica injusta

0
131

Como é fácil criticar neste país!

Aquele que critica, mesmo estando com a verdade, é observado com cautela; quanto mais distante dele se estiver, melhor. Há vezes, no entanto, mesmo não sendo um crítico contumaz, que deve comunicar os fatos verdadeiros.

O buraco no asfalto, o cheiro ruim do rio, o som ensurdecedor, o alimento com prazo vencido etc., quando ocorrem, não têm como não motivar a reação da pessoa. Nem o tolo será capaz de tapar os olhos, segurar a respiração, colocar rolha nos ouvidos e fechar a boca; em algum momento ele irá reclamar.

Criticar por maldade, sem razão, somente para agredir o semelhante não cabe na sociedade moderna, embora muitos ainda sejam capazes de praticar esse nojento e infame comportamento.

Confesso, por experiência própria, que dói muito o comentário improcedente e desairoso, feito com o intuito de ferir. Não se deve deitar falatório calunioso, nem difamatório e nem injurioso até porque a lei penal pune o autor. Mas quem é capaz de tapar a boca do desbocado? Esse trio de tipos penais como é praticado no país!

A sociedade abriga diferentes personalidades humanas, as respeitosas, as desrespeitosas, as amigas, as inimigas, enfim, uma multidão.

Mas quem se livra dos críticos?

DEMOCRACIA

O país deu uma demonstração de abuso da democracia. Veio ao Brasil uma cubana, Yoani Sánchez, e foi convidada por várias entidades a fim de palestrar sobre a liberdade no seu país. Foi recebida por um pelotão precursor de mal-educados. Em outras ocasiões, quando vieram personalidades identificadas politicamente (inclusive condenadas, como foi o caso de um italiano) e foram bem recebidas. Certa feita, até uma bandeira de Cuba foi exposta nas janelas do Palácio Piratini e o Secretário de Agricultura mantinha em seu gabinete uma bandeirola do país do caribe. Sem problema maior.

Uma cubana, indefesa, que conseguiu autorização para sair do país por 80 dias, após vários pedidos negados, é recebida por mal-educados.

Sem questionar politicamente, a democracia permite gestos de todos os tipos, mas, em primeiro lugar, exige-se respeito à pessoa.

OMISSÃO

Foi criada uma Associação para defender o direito das vítimas do incêndio da boate de Santa Maria e esta, juntamente com a Defensoria Púbica do Estado, deverão acionar o Município e o Estado por danos morais e indenização às vidas, podendo alcançar bilhões de reais.

Como sempre, o Município e o Estado, endividados, levarão as condenações para precatórios – nunca pagos.

Fica sendo uma alerta às autoridades que devem não só delegar poderes, mas cobrar os resultados do trabalho dos subordinados, porque, do contrário, poderão levar os contribuintes a pagar pela omissão no exercício dos cargos.

PISO SALARIAL

Retornaram às aulas os professores, após um período de recuperação de suas energias físicas. Sempre otimistas e interessados em transmitir conhecimentos aos alunos.

Mas o cumprimento da Lei do Piso Salarial como é que fica?

Ah, os Municípios e o Estado não possuem recursos financeiros suficientes para o cumprimento da lei! Mas os Municípios e o Estado exigem que os professores cumpram as leis no exercício do magistério.

Pagar bem os professores é uma prioridade. Há formas de cumprir a lei do piso e os prefeitos e o governador têm plenas condições de encontrar os meios necessários.

O Supremo Tribunal Federal decidiu nesta semana que o Piso vale desde abril de 2011.