Aplausos e apupos

0
124

Doce ilusão de que vai ser aplaudido durante toda vida. Há momentos de receber aplausos e há momentos de receber apupos. Não importa tenha mérito ou tenha culpa. É que estes são manifestações do sentimento das pessoas.

Quem nunca foi vaiado que atire a primeira pedra.

Pois já fui, injustamente fui. Aceitei com humildade o momento difícil, compreendi a razão da manifestação e perdoei aqueles que utilizaram palavras e assobios.
Assim deve ser entendido por todos aqueles que assumem um compromisso com a sociedade na qual vive. Pensar diferente é sinal de pouca inteligência e de vaidade.

Assistimos hoje a essas manifestações no esporte, na política e até nas decisões da Justiça.

Nesse fim de semana, em São Paulo, um ministro do Supremo Tribunal Federal e um ex-ministro, condenado pelo mensalão, foram motivo de pilhéria, até de grosseria.

Não condeno e nem absolvo os que procederam de tal forma. Afinal, extravasaram o sentimento do momento de revolta por atitudes que eles tomaram no exercício de cargos públicos.

Mas eles não aceitaram. Ainda se mostraram revoltados. Indignados.

A sociedade pode cometer equívocos ao examinar condutas humanas, pois espera que as autoridades estejam a serviço do povo, obedecendo rigorosamente os ditames das leis.

CARIMBO

Quem imagina que a indústria do carimbo perdeu sua validade está redondamente enganado. Em absoluto. O documento pode ser verdadeiro, mas se não tem carimbo não é válido.

Se tiver carimbo, pode ser falso e será festejado pela burocracia.

No passado, quiseram desburocratizar a administração pública e restou algum resultado positivo. No entanto, ainda continuamos a viver sob a égide do carimbo.

Como tem valor o carimbo! Taxas e taxas são cobradas para validar um documento.

Enfim, ontem foi assim, amanhã será assim e o melhor mesmo é aceitar resignadamente a burocracia brasileira.

ENFOQUES

Anos atrás, a mulher cuidava da casa e dos filhos e o marido trabalhava para ganhar o sustento da família. A situação financeira e o crescimento da condição da mulher alteraram essa realidade. Todos trabalham para a formação da renda familiar.

Surgiram problemas: onde colocar os filhos e como dar atenção aos familiares idosos durante o período de trabalho? Um problema.

Criaram-se as creches municipais e particulares e as casas de repouso para idosos.

Hoje, essa realidade é constatada em todo o país.

O contraste. Quando visitamos uma escola infantil, saímos encantados com a graça das crianças. Quando visitamos uma casa de repouso, saímos sofridos com a situação que todos vamos enfrentar um dia.

Ainda bem que nunca pensamos no assunto e deixamos o tempo passar…

BANCOS

É um comércio ativo. A oferta de dinheiro é uma realidade. Todas as entidades de crédito prometendo vantagens. Só não se esquecem dos juros aplicados no prazo do financiamento.

Sempre salgados.

Dinheiro no ato, sem burocracia, suaves pagamentos, sem fiador, sem desconto em folha, empréstimos a quem tem problema de cartório e assim por diante. Os bancos não perdem nunca.

Nesta época de final de ano, quando muitas pessoas estão endividadas, vem oferta de antecipação do 13º salário.

Mais juro e menos dinheiro para as festas de Natal e Ano Novo.

E vivam os bancos!