Após a tragédia

0
128

Nada fará voltar a alegria ao coração dos que perderam jovens no holocausto de Santa Maria – o gás aspirado é o mesmo. Resta com a sociedade a indignação pela negligência oficial e pela imprudência de promotores da festa.

A juventude não teve culpa, apenas confiou na segurança responsável dos proprietários da arapuca.

O dado lamentável é que somente agora, quando centenas de pessoas tiveram suas vidas ceifadas, ocorram manifestações no sentido de fiscalizar os estabelecimentos. Coisa que deveriam ter providenciado antes de concederem alvarás e autorizações.

Restará somente o direito de buscar na justiça a condenação dos culpados e a indenização às vidas, coisa que não trará consolo algum. A dor é imensa, conviverá com os familiares toda vida.

No caso, também a Prefeitura e o Governo do Estado terão de arcar com as sentenças, com dinheiro da população que não pode reclamar, porque pôs essas autoridades no poder com o seu voto livre e consciente.

As cenas foram chocantes e a tristeza se abateu sobre todas as pessoas de bom coração. Levará muito anos para ser conformada. Mas é importante que esse holocausto não seja esquecido, cobrando-se da Justiça a devida punição dos responsáveis.

Por arrombada, tranca de ferro. Infelizmente, convivemos com a ausência.

LOGRO

Fiquei feliz pela notícia da redução da conta de luz. Parabéns! Fiquei triste pela notícia do aumento da gasolina. Era bondade demais…

Entrevistada, disse a presidenta que não falava sobre aumento, só falava sobre redução de preço. Os governantes devem assumir o bom e o ruim, porque a população está atenta ao que acontece.

Fico imaginando que estava sendo logrado pagando mais do que devia pelo consumo de luz, como fico acreditando que o preço do petróleo aumentando vai causar problemas para muita gente, principalmente os transportadores.

INSEGURANÇA

Ouvi a opinião de um comunicador sobre a falta de segurança existente no Estado. A população limita-se a circular na cidade pelo medo permanente, mas, mesmo assim, sua vida corre perigo.

Disse o radialista: “O governador do Estado tem a obrigação de dispensar a sua segurança pessoal, enquanto o poder público não conseguir oferecer segurança à população”.

Concordo. Se as pessoas não têm segurança, nenhuma autoridade pública tem o direito de andar por aí com escolta, onerando o Estado.

A opinião não será levada em consideração. Nem o estado pode dispensar que o governador corra risco de vida. Mas que seria bom ele conhecer a nossa realidade.

VERÃO

Quem pode ir à praia (mar, rio, lago etc.), aproveitou. O tempo foi até aqui favorável.

O custo para os turistas tem sido salgado novamente. Restaurantes aproveitam bem a presença dos veranistas e cobram preços saborosos. No entanto, as pessoas só reclamam e consomem diferentes produtos.

Felizmente, o número de afogamentos reduziu-se até aqui graças à presença do salva-vidas, sempre solícitos e sempre atuantes. Cumprem o dever com responsabilidade.

A situação do trânsito, tanto nas zonas urbanas quanto nas estradas, continua complicada, os abusos permanecem os mesmos de anos anteriores. Motoristas e pedestres não costumam respeitar as leis, arriscam-se a perigos iminentes.

Tomara que tudo continue do mesmo jeito em favor da população.