Dia a dia

0
138

Ouvi de um pobre a afirmação de que ele trabalha de dia para comer à noite. Informação que não me surpreende, tamanhas as dificuldades como vive o povo brasileiro. Trabalha o mês e ganha salário menor que o mês.

A vida não é fácil para a maioria dos brasileiros. Pelo menos é a revelação feita pelas entidades de crédito. Empréstimos se somam a empréstimos que não terminam nunca. Uma dívida que se acumula com impressionante rapidez. Impagável.

Há um dado importante. No pior momento das crises aparece uma luz da esperança, sonhos que nunca se realizam, mas estimulam as pessoas a continuar lutando.
A luta pela vida com dignidade não pode parar.

Os exemplos positivos de transformações de vida devem ser observados, não digo copiados. Porque cada caso é um caso. Um sucesso não é obrigatoriamente igual ao outro. Mas permite concluir que é necessário esforçar-se para conquistar uma vida melhor.

Nada é fácil, tudo é difícil, mas nada é impossível. Cada pessoa sabe o ideal a perseguir e o esforço que deve fazer para realizá-lo.

O dia a dia tem dado provas de que todos têm oportunidades, mas nem todos sabem aproveitar a inteligência que têm.

Azares, percalços e obstáculos de todo tamanho podem acontecer no correr dos anos, mas sempre haverá uma ponte a possibilitar a passagem com segurança.

BENESSES

Os presos com direito ao regime aberto, um total de 40 mil no país e de 5.500 no Estado, poderão receber o natal antes do tempo. É que o Supremo Tribunal Federal está decidindo mandá-los para casa, porque os presídios estão superlotados e as condições carcerárias são precárias.

Dane-se a população com o iminente perigo de assalto e de morte com a liberdade a ser concedida.

Quem deve ir para a cadeia, e isto não irá acontecer, são os governantes que não investem no sistema penitenciário, ocasionando a lotação exagerada e as precárias condições oferecidas aos condenados.

Papai Noel brasileiro sempre bonzinho! Com os maus…

ESQUECIMENTO

Toda vez que acontece um acidente com gravidade, como o de quatro meses atrás de uma boate em Santa Maria, há uma enervante preocupação por parte das autoridades e da população.

Logo um incidente sobrevém a outro e o primeiro fato ganha o esquecimento.

Não poderia ser diferente, pois todos os dias novas ocorrências graves estão sendo registradas, reservando às famílias vitimadas o sofrimento e o pensamento fixo no familiar que perdeu a vida.

A memória registra tudo, mas o tempo é, talvez, o remédio que ameniza a dor e permite que a vida continue.

Menos para quem se priva de um familiar tão querido, sacrificado pela imprudência de pessoas irresponsáveis.

ABANDONO

É comum, e condenável, o abandono de idosos pelos filhos. Recolhidos a asilos e a clínicas especializadas, as mães e os pais lamentam a saudade da família.

Uma interna me disse outro dia: ‘eu nunca imaginei que um dia pudesse estar aqui’. E está aos 83 anos de idade!

O problema é que os pais para poderem trabalhar colocam os filhos nas creches, onde passam o dia. Os avôs e as avós são internados em clínicas, porque os filhos precisam do trabalho e essas pessoas necessitam cuidados especiais por diversos problemas de saúde. Tanto nas creches quanto nas clínicas se supõe um bom tratamento.

Uma visita aos pais é muito importante, eles não podem ser abandonados.