E o tempo passou…

0
125

Nem me dei por conta. O ano vai chegando ao fim. Quantas coisas aconteceram! A única certeza que tenho é a explicação encontrada para as rugas do rosto, os fios de cabelos que restaram e a neve dominadora que tomou conta de minha cabeça.

Felizmente a ideia continua lúcida, intacta, imexível.

Quando o ano terminar, restarão pensamentos bons. Os que foram ruins serão jogados no lixo do universo. Imprestáveis, eles não devem ter lugar na minha vida.

Se o tempo passou, não levou a esperança de continuar vivendo e de apreciar as belezas que este mundo tem. E quantas são elas! O riso dos netos, os caminhos percorridos pelos filhos, o sucesso dos amigos, as descobertas da medicina, um mundão de fatos que só enriquecem a vida.

Tem uma questão que não entendo: como é que o tempo cruzou e não me dei por conta da sua passagem? Estava atento, todos os dias, não perdi um minuto sequer, mas fui traído pela realidade.

É assim mesmo, quando tudo é motivo para sorrisos não sentimos o tempo passar. O tempo só emperra mesmo, quando tudo está acontecendo de errado.

Enfim, a vida vai continuar no mesmo tranco, porque continuo otimista, e só o otimismo é capaz de vencer todas as dificuldades. Como, aliás, acredito que você que tenha a mesma forma de pensar.

Os anos passam. Não há jeito de parar o tempo.

COMPRAS

O dinheiro extra, que começou a entrar na conta dos trabalhadores dia 20 próximo passado, entusiasmou o comércio que passou a vender mais e a recuperar as perdas sofridas durante o ano.

Ainda haverá uma segunda parcela de dinheiro a ser paga até dia 20 e, quem sabe, será possível pensar nos esperados presentes.

É bom aproveitar o dinheiro extra para pôr as contas em dia, gastar parte do dinheiro em compras e reservar determinado valor para a poupança. Não se sabe o que vai acontecer no dia de amanhã.

De lamentar que alguns meses que esse rico dinheirinho foi comprometido com empréstimos. Afinal, quem ganha pouco não se livra de ir ao banco para tapar os furos do orçamento doméstico.

IDOSO

Há uma disfarçada discriminação e desrespeito para com o idoso. Esquecem-se as pessoas de que um dia poderão chegar nessa idade, se tiverem essa felicidade.

Nem todo idoso é dependente de ajuda. Há muitos que ainda podem produzir e auxiliar os filhos e os netos, inclusive financeiramente.

Mas todos indistintamente merecem maior consideração.

Às vezes é explorado por parentes e amigos para pagamentos de contas, porque tem o privilégio de uma fila própria. Outras vezes é desrespeitado no trânsito, nas calçadas, em diferentes locais públicos, porque tem passo mais demorado. Sem ignorar as calçadas que representam perigo iminente ou quando é obrigado a circular em cadeiras de rodas.

Não vamos falar nos depósitos humanos – os asilos, onde o idoso é esquecido.

Vamos ser mais humanos.

VEREADORES

Tramita no Senado Federal, de autoria do goiano Cyro Miranda, projeto-de-lei acabando com a remuneração de vereadores de municípios com menos de 50.000 habitantes. Segundo o projeto, 89,41% dos 5.565 municípios brasileiros deixarão de pagar os edis,

É claro que vai haver uma reação em cadeia, porque nenhum brasileiro quer abrir mão da remuneração de vereador.

O assunto que vai causar muita polêmica ainda não tem data para votação.

O político só se esqueceu de incluir a redução da remuneração dos Senadores na proposta apresentada. Mas ainda está em tempo…