Fim de festa

0
131

As eleições ficaram para trás. De hoje em diante, a vida voltou ao normal. Os nervos foram serenados. O resultado das urnas foi aceito. Os vitoriosos planejam o futuro, pois terão enormes compromissos a cumprir. Os não vitoriosos, também vencedores, devem ter a humildade de reconhecer a decisão dos eleitores.

O município precisa da união e do esforço de todos, independentemente de cor partidária. A ninguém é assegurado o direito de torcer pelo insucesso da administração a ser instalada no próximo ano.

O que deve haver é uma reflexão para saber a razão do sucesso e do insucesso, descobrir as causas, porque logo teremos novas eleições.

O que merece destaque foi o comportamento dos participantes do pleito e da população. Não foi registrado nenhum incidente grave, demonstrando o nível de educação da nossa população.

Em período eleitoral, normalmente as campanhas geram descontentamentos, pequenos atritos, coisa natural, esquecidos pós o dia 7.

Agora é momento de voltar à realidade e dar seguimento à vida. Afinal de contas, a vida em sociedade nos impõe responsabilidades que devem ser assumidas.

RELAXAMENTO

Durante a campanha, os partidos e os candidatos seguiram à risca todas as orientações da Justiça Eleitoral.

No entanto, no dia votação, foi depositado nas vias públicas um volume impressionante de ‘santinhos’, emporcalhando a cidade. Coisa feia.

A intenção era ganhar o voto dos eleitores que ainda tinham dúvidas sobre a escolha de candidatos. Compreensível intenção. Mesmo assim desconfortável.

Seria o caso, como aconteceu em cidade mineira, de o juiz determinar que os candidatos pusessem a mão em vassouras e fizessem a limpeza das ruas. Pobre dos garis!

CONDENADOS

Não acreditava e dou mão à palmatória. À exceção de dois ministros ‘vendidos’, os demais julgadores do Supremo Tribunal Federal salvaram a dignidade do poder. A condenação foi justa, apesar da contestação dos condenados.

Fosse mera caixa dois os envolvidos mereceriam condenação. Mas ficou provado que o mensalão foi mesmo para garantir a aprovação de projetos, entre eles o da Previdência Social contra aposentados e pensionistas.

Espera-se que tais fatos não se repitam mais no país.

ADMINISTRAÇÃO

O atual mandatário municipal terá dias difíceis, pois deve cumprir a legislação fiscal e os pedidos serão de toda ordem. Além disso, as pessoas que se aproximavam do poder começarão a procurar os eleitos para a próxima administração. É natural que isto aconteça.
Há um vazio de poder.

Mas, enfim, para o momento da despedida a pessoa sempre está preparada.