O futuro é o presente

0
138

Sim. Na passagem do tempo, rápido, a pessoa não pode sonhar com o futuro e esperar pela oportunidade ou pela sorte; deve agarrar-se no presente com vigor fazendo valer a sua força de vontade e a sua inteligência.

É ilusão imaginar os sonhos num tempo distante, pensando que ele possa trazer os benefícios desejados. O presente vai embora e a pessoa poderá não se realizar.

Há uma competição permanente na sociedade, disputa sadia entre as pessoas, todas querendo realizar os seus ideais. Para tanto, se preparam com esmero nos bancos escolares e realizam os mais diferentes cursos. Os que não acreditam nessa verdade serão esquecidos.

A decisão deve ser imediata e pessoal. O pensamento deve estar voltado para a conquista de um ideal.

Há pessoas sonhando com o futuro e deixando de aproveitar o presente, o agora, este instante. Os eternos sonhadores que não se realizam. Andam às soltas pelo país à procura de uma oportunidade. Ainda reclamam da falta de sorte.

A sorte só acompanha aquele que não perde uma oportunidade. Aquele que se prepara para quando a oportunidade chegar.
O presente é muito importante. O futuro poderá corresponder ou não ao esforço realizado.

CALÇADAS

Com total razão cobramos da população respeito pelo Código de Posturas Municipais. Pedimos a não colocação de lixo fora do horário de recolhimento, para não jogar latas, jornais, tocos de cigarros e chicletes à margem das ruas e nas calçadas, sem esquecer os fedorentos detritos de animais domésticos.
Às vezes, a lei é respeitada, só às vezes.

Quanto ao dever do Poder Público, nada a exigir? Há, sim. Ruas calçadas ou asfaltadas, iluminação pública e exigência de conservação das perigosas calçadas. Já não falo da quantidade de passeios públicos não calçados e tomados pelo mato.

Cidade turística, polo regional e sede de Universidade exige colaboração da população e investimentos do Poder Público.

AUTÔMATOS

O país tem um grupo político de autônomos que governa uma população de milhões de autômatos. Isto mesmo. Os políticos fazem e desfazem e a população aceita.

Não se constata a existência de uma oposição séria e responsável. A oposição ao governo não existe pelas razões de domínio público. Só diz amém.

Até representa que os parlamentares foram eleitos para estar no governo e votar contra a população.

A democracia exige uma oposição criteriosa, que realmente aprove o que for bom para o país e reprove aquilo que não for.

Infelizmente, não tem sido assim. Cômodo é participar do poder.

HERÓIS

No país, quem joga uma bola (não dessas cobiçadas no Planalto Central) torna-se herói nacional após a conquista de uma medalha. É recebido em Palácios e desfila em carro de bombeiros pelas vias públicas. Nada contra.

Um gari que encontra pasta com dinheiro e devolve ao dono e um médico que faz uma traqueostomia de emergência no piso de restaurante (com faca de cozinha e caneta esferográfica), e salva um idoso, não recebem o reconhecimento.

Heróis foram os ‘boieiros’. Honestos e solidários não são heróis no Brasil.

A educação é responsável por atitudes coerentes. Como ainda andamos atrás nas pesquisas oficiais sobre educação, rendemos homenagem a quem merece menos.