O país da farra

0
137

Não vamos trazer à tona o passado do país. Nem vamos fazer comparações entre os diversos governos da República. Em tudo aquilo de errado que aconteceu, antes e agora, vamos pôr uma pedra por cima. O que não interessa ao país que fique registrado na história.

Porém, é hora de repudiar o comportamento de certos homens que assumem cargos importantes na República, que gargalham da miséria de milhões de brasileiros, enquanto acumulam fortunas desonestas.

Gente sem-vergonha, que não respeita as leis e nem teme os julgamentos da Justiça. Simplesmente, continuam a perpetrar crimes administrativos na maior desfaçatez.

Sabem que as penas são ridículas. Menos de oito anos de prisão dormem em celas especiais e passam os dias em liberdade. Ainda assumem mandatos eletivos com direito a festas de familiares e de correligionários.

O país tem riquezas extraordinárias e poderia oferecer mais aos brasileiros, não fossem as ratazanas da República que roem todos os recursos oriundos de pesados impostos.

Essa farra com dinheiro público, usado desonestamente, não pode continuar. Os governantes devem escolher melhor seus auxiliares e, tão pronto um desvio de recurso for constatado, os aproveitadores devem ser punidos com o rigor da lei.

Se bem que as leis, cá para nós, feitas pelos políticos, jamais serão de tal ordem que possam atingi-los. São leis feitas na medida certa.

DISCRIMINAÇÃO

Não posso tapar olhos e ouvidos para não reconhecer que existe discriminação no país. Uma injustiça contra pessoas pobres, com defeitos físicos, com a cor da pele etc. O problema não se resolve somente com leis, se combate com educação e com investimentos públicos.

Falar que essa triste realidade existe entre nós, felizmente patrocinada pela menor parcela da população, não resolve o problema, ao contrário, agrava-o.

Que existe uma dificuldade maior de pobres de toda cor ingressarem em empregos e em universidades não se pode negar. No entanto, as leis devem ser elaboradas em proveito de todos. Não será apenas pela cor da pele que o ingresso deva ser facilitado.

Os pobres, que estudam em escolas públicas preferencialmente, devem merecer um ensino de melhor qualidade, pois eles não querem ser eternamente favorecidos pela condição social. Merecem mais respeito.

ACEITAÇÃO

A experiência me ensinou que uma derrota dói forte e é difícil de ser assimilada. Só o tempo faz apagar o sentimento que perdura na alma. No entanto, aceitá-la é sinal de madura inteligência.

Para que ficar sofrendo após um resultado negativo?

O problema é que concorremos a um cargo eletivo, na política, na escola, na sociedade etc. com a intenção de ganhar. Ninguém disputa uma eleição simplesmente para contribuir para com a democracia.

As intrigas de bastidores não recomendam absolutamente a ninguém.

ASFALTO

Considero procedente o trabalho de asfaltamento das ruas dos bairros da cidade, porque melhora a circulação de coletivos e demais veículos. O calçamento com pedra irregular, uma praxe adotada ao longo dos anos, resolve o problema do barro, mas, ao correr do tempo, passa a dificultar a circulação de veículos. Torna-se uma buraqueira de quebrar molas e afrouxar lataria.

É um investimento oneroso, mas necessário, e as populações dos bairros merecem que recursos sejam aplicados pela municipalidade. De parabéns o prefeito!