Perdido na vida

0
122

Há gente vivendo perdido em meio à multidão. Sente-se só. Leva vida sem objetivos. Cumpre apenas os compromissos diários para o sustento da família. Trabalha de dia para dormir à noite.

Não sente felicidade. Traz no coração amarguras, ódios e sofrimentos. Na mente, falta-lhe expectativa positiva quanto ao futuro. E não procura resolver-se sentimentalmente.

Não é suficiente estar rodeado de colegas, de amigos e de familiares para se completar como ser humano. A presença de pessoas lhe faz bem, atenua as dificuldades, mas é insuficiente. Faz-se necessário ter entusiasmo, emoções vibrantes, sentir-se alguém útil entre os mortais.

Não é fácil viver, mas é importante tornar a vida mais fácil. Mais leve. Mais otimista. Mais produtiva. A força de vontade é capaz de modificar a vida.

O momento mundial dificulta às vezes a realização de ideais. Uma concorrência enorme. Necessidade de conhecimentos. Disputas interesseiras. Complicações que aparecem.

Ainda assim, vale o esforço de ir ao encontro do que projetou na vida. A realização dos sonhos, sabendo de sua competência. Sobretudo, sentindo que os seus problemas não são maiores que os dos outros.

Encontrar-se na vida é fundamental e seguir em frente uma demonstração de coragem e de confiança, sem nunca perder a esperança.

VERDADE

Foi nomeada a Comissão da Verdade que vai tentar localizar desaparecidos pela ‘revolução de março’. Lastimável é que não seja estendida para contraditar a palavra de corruptos que negam atos cometidos.

Prestaria bom serviço a Comissão para examinar as palavras do ex-presidente da República e de dois ex-ministros do STF a respeito de recente reunião que tiveram. A informação é de que o ex-presidente queria ‘abafar’ a verdade do ‘Mensalão’.

Um afirmou, outro negou e outrem saiu de fininho para não se incomodar.

Não foi por nada que essas três personalidades se reuniram. Para um cafezinho é que não foi.

JUSTIÇA

Jornal de grande circulação no Estado noticiou a morosidade da Justiça em vista da falta de Juízes e de serventuários, além, é claro, do número elevado de demandas propostas ao Judiciário. A Vara da Fazenda Pública, então, é um cemitério de processos.
É verdade. Os gaúchos gostam de defender seus direitos e os recursos procrastinatórios favorecem esses objetivos.
As partes questionam os advogados pela demora com toda razão, no entanto os profissionais do direito não merecem a culpa.
Que dizer dos servidores públicos do Estado que vêem seus direitos negados, esperando anos a fio com um precatório à mão? Morrem antes do tempo.

MENTIROSO

Como tem mentiroso importante neste país! Santo Deus! A imprensa descobre uma falcatrua e vem o mentiroso, na maior cara de pau, tentar convencer de sua inocência. Para cometer o erro demonstra confiança e força política. Apanhado numa investigação policial quer parecer coitado, injustiçado, culpando outros.
Ouvi o senador Demóstenes e fiquei envergonhado. Um Procurador de Justiça no cargo de senador da República provou ser um mentiroso. Que país este!