Profetas da economia

0
131

 A economia é a ciência que trata dos fenômenos relativos à produção, distribuição e consumo de bens. E como há entendidos no país, dentro e fora do Governo. Todo mundo dando palpite.

Diante de tantas informações às vezes nos acomodamos na crença de que tudo vai bem, que o país está livre das dificuldades que assolam a Europa. Grandes países andam de chapéu na mão pedindo auxílio. Com movimentos de rua lamentáveis.

A verdade é que temos o dever de adotar precauções no consumo. Não podemos exagerar nas compras desnecessárias, em planos alongados, com juros nada confortáveis. As ofertas são de toda ordem, mas a inteligência deve prevalecer sobre a euforia do carro novo, da reforma da moradia, da substituição de eletrônicos ainda em condições de bom funcionamento.

Em final de ano salário extra à mão somos dominados pelas publicações que inserem vantagens imperdíveis.

Até a rede bancária e as financeiras oferecem dinheiro à vontade, inclusive para os que já estão sufocados até o pescoço. Dou um exemplo: R$ 21.000,00 sem burocracia em 60 meses com prestação de R$ 670,00. É pegar ou largar. Faça as contas.

No primeiro momento cedemos à tentação. É da importância que estamos necessitando. Mas, pensando bem, vamos arrumar dívida de valor em dobro.

É bom pensar antes de gastar para não evitar uma depressão posterior.

INVESTIMENTOS

Não tem alternativa, o Governo tem de colocar dinheiro grosso na Educação, na Saúde e na Segurança Pública. Os pecados cometidos por diferentes governadores estão causando uma realidade lamentável.

O cobertor é curto, é o que dizem as autoridades. No entanto, com competência é possível transformar as dificuldades em facilidades. Os primeiros passos devem ser dados sem promessas impossíveis anteriores às eleições.

É verdade que as necessidades são múltiplas. Toda população corre atrás dos recursos públicos. Mas já que eles são poucos é bem pensar como fazer para não gastar mal o dinheiro tomado da população.

RELAXAMENTO

Incrível, mas infelizmente é verdade, os ‘sujismundos’ andam por aí. Pobres e ricos têm o comportamento desagradável de sujar a cidade. Tocos de cigarro, latas de bebidas, folhas de jornal, cascas de frutas, detritos de animais etc. são despejados pelas ruas. Tudo isso sem o menor constrangimento.

Criticamos os pobres, dos bairros, que amontoam lixo à frente da casa. Estão errados e devem corrigir-se. Mas os ricos também adotam posturas nada recomendáveis.

O dever da municipalidade é caprichar na limpeza pública, mas é dever dos cidadãos um comportamento caprichoso. Até como orientação aos menos escrupulosos.

Enfim, retornamos ao ponto de partida, a educação vem de berço.

GREVE

Nunca optei por fazer greve, mas sempre respeitei a vontade daqueles que fazem. É um direito constitucional.

De lamentar apenas que a parte prejudicada é aquela que paga impostos pesados, porque os governantes são surdos, cegos e mudos diante dos movimentos grevistas. Vivem nababescamente.

Os professores retornaram às aulas desiludidos e desesperançados. Só ganharam o dever de recuperar as aulas não dadas com todo esse calor.

Torci pelos professores, mas desta vez não deu certo o movimento.