Retorno à cidade

0
132

 Há uma velha máxima segundo a qual ‘quem bebe da água do Itaquarinchim um dia retorna à cidade’. Hoje, o nosso rio tem suas águas poluídas, proibidas para banho e mais ainda para consumo. Por isso, não bebi das águas do Itaquarinchim. Mas retornei.
Um fim de semana prazeroso, possibilitando o convívio familiar com diversas pessoas, a maioria delas humildes. Todas acolhedoras, generosas, educadas e demonstrando uma vocação para o trabalho e uma vontade de vencer na vida.

Vim e vi uma cidade em crescimento. Novos empreendimentos econômicos, investimentos públicos, oportunidade de ensino de primeira qualidade, bairros explodindo em diferentes áreas urbanas. Muitos a exigir carinho da municipalidade.

Quem não visita a cidade faz muito tempo certamente terá até dificuldades de localizar pessoas. As crianças de ontem estão assumindo os cargos importantes oferecidos pela sociedade. Alguns dos mais ‘veteranos’ já deixaram esta terra há algum tempo.

Em suma. A cidade cresceu e se desenvolveu. Prédios com vários andares, casas de bela construção, centro cívico revigorado, praças arborizadas e pessoas circulando pelas ruas com otimismo. Isto faz bem: pessoas com otimismo.

Problemas? Se não encontrasse nenhum seria querer demais. Há, sim. Desafiadores e que exigem atuação firme e urgente dos competentes administradores públicos. Mas só serão resolvidos com a participação da comunidade.

SUS

Que bom que o ex-presidente Lula está tendo um ótimo tratamento do SUS. Tomara que, a partir de agora, a população também possa merecer a mesma proteção para sua saúde. O SUS infelizmente tem deixado em situação difícil doentes graves, obrigados a esperar nas filas meses afora por um diagnóstico, por uma aplicação química ou por uma cirurgia.

Faltam recursos, eis a explicação fantástica. Mas aonde foi parar o dinheiro tomado da população com a finada taxa sobre operações financeiras? Ninguém sabe e ninguém viu.

Os doentes não devem ser atendidos pela previdência social de acordo com seu poder político e nem econômico, pois todos são iguais perante a lei. Ou não é assim?

Passo a acreditar que o SUS vai realmente cumprir com sua missão.

ESTRADAS

O pedágio é um negócio desagradável ao bolso do contribuinte. Já se paga o imposto sobre o veículo, por que pagar pedágio? Mas se paga.

O que se vê é que as estradas mantidas por pedágio apresentam condições boas, não digo ótimas, mas boas. Enquanto isso a maioria das estradas custeadas pelo Estado apresentam crateras perigosas.

A mim parece que é mais interessante pagar o pedágio e esquecer o tal IPVA. O dinheiro é mais bem aplicado

BULLYING

Esta palavra inglesa quer significar agressões físicas ou verbais de um aluno contra outro, ou um grupo de alunos. Que lástima! As escolas se tornaram locais de crimes. Contra professor. Contra aluno.

Sempre houve contratempos nas escolas, brigas de alunos sem consequência maior. Mas modernamente as coisas estão seriamente complicadas.

Revólveres, pistolas e facas entram nas escolas e causam problemas.

Não era de admirar. Quando o crime se expande sem punição, é nisso que dá.