Sai pra lá satanás

0
138

 O ano, salvo alguns contratempos, foi bom para a maioria dos brasileiros. Muita paz. Muita esperança. Sonhos realizados. Projetos de vida idealizados. Enfim, os dias foram favoráveis.

O problema foi os contratempos sofridos por alguns. Doídos. Duradouros. Passado que não se quer ver repetido. Afinal, o ser humano tem o direito de ser feliz. Mas não está livre de adversidades.

O Satanás andou solto em departamentos públicos de diferentes níveis. Ah, se andou! E como andou! Gente até então considerada pela população se aproveitou de cargos e foi ao fundo do pote. Levantou verdadeiras fortunas à custa da miséria de milhões de brasileiros. Ainda teve o despudor de negar o cometimento de fatos ilícitos comprovados.

O ano ainda não findou e muita coisa ainda pode acontecer. Espera-se, porém, que os trinta dias finais possam ser favoráveis aos humildes, aos honestos, aos trabalhadores, aos solidários.

E que Satanás não apareça em forma humana no ano que vem. Arda no fogo do inferno, seu lugar. Não seja convidado por nenhuma autoridade para o exercício de cargo público.

Afinal de contas, o país tem muito a dar à sua população. Riquezas que não podem ser exploradas por meia dúzia de imorais, que surgem na vida pública.

CALOTEIRO

Os devedores do Estado devem saldar suas dívidas. O contribuinte cumpre com o dever. Se não espontaneamente, através do Judiciário. Entrega inclusive o seu patrimônio. Não é o que acontece com o Estado. Simplesmente aplica o calote.
Os credores dialogam e nada resolvem. Então, recorrem ao Judiciário, têm suas ações providas, o Estado propõe recursos e as perde, a dívida vai para Precatório e aí morre a esperança dos credores. O Estado não paga. Ou quando paga alguma dívida de pequeno valor ainda exige desconto.

A intervenção no Estado é a solução constitucional, nunca aplicada, e disso se aproveita o administrador para se fazer de cego às decisões judiciais. Que vergonha!

O Estado está ameaçando os devedores em apontá-los para o SERASA (proteção ao crédito). Seria bom se os credores do Estado também pudessem recorrer ao SERASA!!!

OFERTAS

Quanta bondade é praticada em véspera de datas importantes! As ofertas são gostosas ao paladar do consumidor. Prazos extensos a partir do próximo ano. Juros tentadores. Produtos de qualidade reconhecida.

Lá vai o consumidor apertado atrás de novos gastos até complicar sua vida depois.

DROGAS

As drogas estão destruindo as famílias. Um vício danado capaz de transformar pessoas dóceis em violentas e más. Elas devem ser combatidas pelas autoridades.

Outras drogas preocupam muito. O fumo e o álcool. Tantas pessoas doentes que não se dão conta do risco que estão correndo. O fumo prejudica não só o fumante, mas sua família. O álcool tem causado consequências mais graves. Aí estão as estatísticas. Destruições, aleijamentos e mortes.

As leis, decididamente, não põem fim aos vícios. O livrar-se dos vícios depende, fundamentalmente, do querer das pessoas. Ter força de vontade.

Não é fácil. A saúde física e mental fala mais alto.