Vitória do bem

0
136

O mal teima acontecer por ato de pessoas desumanas. Menores e maiores não sabem comportar-se em sociedade. Isto resulta em repetidas notícias de crimes que atormentam a população.

Antes esses fatos só se verificavam em grandes cidades e na capital. Hoje estão disseminados por todo o Estado, tornando vulneráveis os pequenos municípios que têm um policiamento reduzido.

Se bem que bandido não teme policial, nem promotores, nem juízes e nem cadeia. Sabem da possibilidade concreta da impunidade por leis malfeitas, elaboradas por políticos descompromissados com o povo.

Felizmente, na semana que passou o bem triunfou sobre o mal. Autores de barbaridades contra inocentes no país e no exterior terminaram a vida precocemente ou foram transferidos para presídios.

O mal é passageiro, causa sofrimentos e dores que o tempo não apaga, mas não consegue prosperar quando a sociedade se organiza em torno do bem.

O bem prevalece sempre e este é o alerta que deve ser feito àqueles que se desencaminham na vida e optam pela prática do mal.

Os tempos estão realmente perigosos e o noticiário assusta. Mas é necessário continuar investindo na educação para formação de gerações humanas voltadas para o bem.

PROFESSORES

Sem perceber uma remuneração digna os professores não podem buscar um aperfeiçoamento melhor. Pagar cursos com que dinheiro?

É justa a paralisação dos professores, embora os alunos sejam prejudicados, pois a recuperação não será satisfatória. O Estado só quer descontar os dias parados e exigir que os professores cumpram os números de aulas previstos em lei. Aí a lei tem valor…

Autoridades ditadoras! Mentirosas, porque prometeram um piso salarial para ganhar as eleições e se negam a cumprir a lei do piso.

No passado, um professor ganhava o suficiente para alimentar-se, divertir-se, frequentar cursos e ainda ajudar na formação de parentes na Universidade.

Hoje, não ganham nem o necessário para sobreviver com dignidade.

E o governo põe polícia na frente do Palácio para mandar para longe os professores. Uma vergonha!

VEREADOR

São boas as duas ideias do vereador Paulo Azeredo, coincidentemente meu irmão mais moço: o que possibilita o agendamento de consultas médicas por telefone e o que revoga o art. 144, do Código de Posturas Municipais.

Com relação à saúde, facilita a presteza no atendimento de doentes, evitando-se o deslocamento desnecessário do interior. O art. 144, do CPM, é uma crueldade contra animais abonados ou perdidos em vias públicas. Estes devem ser curados de doenças e tratados a fim de se encontrar um novo dono. O que deve ser evitada é a procriação indesejada de cães e de gatos.

HOMENAGEM

Por hábito, defendo sempre a vida, mas mantenho respeito pela morte. Será o caminho de todos um dia. Há pessoas que morrem e não deixam saudades, outras deixam um vazio enorme no sentimento dos familiares e dos amigos.

Pessoas anônimas na sociedade, que fazem o bem e em algum tempo prestaram serviços à própria sociedade.

Conheci dona Antônia Winter, que partiu deste mundo para outro melhor, aos 83 anos de idade, quando era vice-presidente da Associação Santo-Angelense Lar do Menino. Ela cuidava de 30 crianças que não tinham familiares ou eram esquecidos por eles.

Pessoas assim têm lugar próximo de Deus. A vida continua.