Colcha de retalhos

0
103

O amigo Paulo Marzari quer saber o que dizem os espíritas sobre “o fatídico dia 21 de dezembro de 2012”, se o mundo vai mesmo acabar em meio a terremotos, furacões, vulcões… Em várias regiões pessoas estocaram alimentos e construíram abrigos mais do que seguros, temendo o pior. Não sei o que os outros dizem, mas acredito que o planeta de provas e expiações, onde andamos só de passagem, passagem muito rápida, aliás, vai continuar o mesmo de sempre. Sem mudanças drásticas. E, individualmente, cada um de nós tentando ser útil ao semelhante, mesmo com a desaprovação de alguns. Diz bem o espírito André Luiz quando nos recomenda:

– Seja útil em qualquer lugar, mas não guarde a pretensão de agradar a todos; não intente o que o próprio Cristo ainda não conseguiu.

Outro amigo, o Luiz Nicola Vieira, manda seu recado eletrônico:

– Em certa época de minha vida atual fui agricultor. Assim, aprendi que para a planta viver, crescer e reproduzir, exige que o agricultor limpe os inços, não despreze a capina de ervas daninhas, pois em contrário a planta não cresce e morre. Assim somos nós em relação a nossos sentimentos: precisamos nos desvencilhar do ódio, da inveja, do ciúme, da maledicência, da malquerença, exatamente como nos ensina o grande Chico Xavier.

Vale a pena anotar e refletir sobre as palavras de dois espíritos altamente evoluídos: Emmanuel (outrora o orgulhoso senador romano Publius Lentulus) e Madre Teresa de Calcutá. O principal mentor do médium de Uberaba nos ensina que “no vasto caminho da Terra, cada criatura procura o alimento espiritual que lhe corresponde à posição evolutiva”. Por outro lado, a freira que nos deixou maravilhosos exemplos de amor ao próximo, que sensibilizou profundamente a Princesa Diana, disse que “todas as nossas palavras serão inúteis se não brotarem do fundo do coração. As palavras que não dão luz aumentam a escuridão”.

Mais um Natal, mais uma comprovação de que o Papai Noel está sendo mais lembrado do que o aniversariante. A mensagem maior está cada vez mais abafada pelo consumismo desenfreado. De Porto Alegre, Vanda Feijó, viúva do jornalista Isac Feijó, que militou em rádios e jornais da cidade, postou na rede social frase que eu gostaria de assinar em baixo:

– Natal é uma festa cristã em homenagem a Jesus, nosso Mestre. Mas muitas pessoas esquecem do homenageado, enquanto deveriam presenteá-lo com sua reforma íntima.

Pois é, Vanda, mas reforma íntima requer a substituição do egoísmo e do orgulho pela humildade e caridade. É preciso muita coragem para enfrentar o desafio.

A FRASE DO CHICO XAVIER – lembrada por César Rigo, nascido em Santa Rosa, mas residente em Brasília há muitos anos – Dar o pano que sobra em nosso guarda-roupa é dever, mas vestir o próximo de novas ideias, através dos nossos bons exemplos, é caridade.