Cremação & sonhos

0
127

Desde que instalado forno crematório em Santa Rosa, são diversos os corpos físicos de moradores de Santo Ângelo lá incinerados, ante a partida inevitável para o outro lado da vida. Muitos indagam se o fogo ardente de 30 mil volts afeta o recém-desencarnado. A resposta é positiva, pode produzir desconforto muito desagradável ao espírito que ainda não está totalmente liberto das sensações da matéria. Daí a recomendação da espera de 72 horas, quando o cadáver aguarda em câmara fria a eliminação total em rápidos instantes. O advogado José Francisco Teixeira Larrosa foi o primeiro por aqui, ao que me consta, a ser cremado no referido prazo. Ele conhecia a opinião do mentor do médium de Uberaba.

Há várias décadas, Chico Xavier respondeu pergunta sobre cremação quando entrevistado na extinta TV Tupi de São Paulo. Ao lado dele, o Espírito Emmanuel assoprou no ouvido do médium que não há nada em contrário a quem deseja a providência, mas advertiu os interessados:

– Ela é legítima para todos aqueles que a desejam, desde que haja um período de pelo menos 72 horas de espera para a ocorrência em qualquer forno crematório, o que poderá se verificar com o depósito dos restos mortais em ambiente frio, em baixas temperaturas.

Por outro lado, Instrutores Espirituais ensinam que quando se dorme, só há o repouso do corpo físico, porque o corpo espiritual está sempre em movimento. Então, com alguma liberdade, nosso espírito entra em contato com entes queridos e amigos que partiram antes de nós. Há encontros felizes, diálogos, dos quais pouco lembramos no amanhecer. Alguns, no entanto, são capazes de reproduzir cenas e muitas frases ouvidas na madrugada. O amigo Luiz Ubirajara Duarte Soares, residente nesta cidade, outro dia contou sonho muito nítido de sua irmã com o pai de ambos, Iram Soares, desencarnado há vários anos.

O Iram, nascido em Santiago, era funcionário público estadual e trabalhava no antigo Posto de Higiene, então situado na Rua 7 de Setembro, prédio de propriedade de Henrique Möller Filho, agora de Ênio Tonetto Reis. O médico-chefe do Posto era o pediatra Olavo Meira, desencarnado há pouco tempo na Capital do Estado. Mas a irmã do Luiz andava em fase de busca em matéria religiosa, queria entender melhor de onde viemos, o que fazemos por aqui e para onde retornaremos qualquer dia. O Luiz então acrescentou estes dados:

– Em certa noite, minha irmã sonhou com nosso pai. Ele se mostrou alegre, exatamente como era sua característica terrena, e então ele sugeriu que ela procurasse o livro chamado “O Atalho”, escrito por Luciano dos Anjos. Ela teria então as respostas que andava procurando e não achava. Procuramos o livro em diversas livrarias e ninguém conhecia a obra. Parente nosso foi encontrá-la num sebo no Rio de Janeiro e minha irmã agora está lendo e constatando que é de teor espírita. Quando der, vou te repassar.

Morador próximo ao meu escritório, na Florêncio de Abreu, conta que morou em sua casa por mais de quarenta anos mulher natural de São Borja. Morava e trabalhava. Nora do amigo suspeitava que essa senhora não gostava dela. Dois meses antes de deixar o mundo físico dita senhora foi visitar parentes na cidade fronteiriça, lá adoeceu e faleceu em hospital. Poucas semanas depois, ei-la que aparece em sonho para a nora do amigo e esclarece tudo:

– É engano teu, nunca tive motivo para não gostar de ti.

A FRASE DO CHICO XAVIER, postada na rede social por Bernardeta Klidzio: – Se o momento é de crise, não te perturbes, segue… serve e ora, esperando que suceda o melhor. Queixas, gritos e mágoas são golpes em si mesmo. Silencia e abençoa, a verdade tem voz.