Ela continua ao lado dele

0
129

Há espíritos que não se dão conta de que já deixaram o mundo físico e não saem do interior da antiga residência. Eles ignoravam a continuação da vida em outro plano. Acham estranha a indiferença dos familiares, mas se acostumam e ali permanecem por longo tempo. A literatura espírita tem inúmeros relatos dessa lamentável realidade, algumas dessas histórias levadas para as telas cinematográficas, como é o caso do bom filme “Os Outros”, com Nicole Kidman no papel principal. Há poucos dias, ouvimos narrativa convincente sobre episódio assim parecido, que ocorre no interior do Entre-Ijuís.

Toda a família é luterana e nunca participou de nenhuma casa espírita. Ninguém jamais leu qualquer obra psicografada pelo Chico Xavier, muito menos as obras básicas de Allan Kardec. Apesar da crença tradicional, a Lúcia entrou, dia desses, pela primeira vez, na Sociedade Espírita Amor ao Próximo, especialmente para desabafar, para contar o que sucede com o velho pai de 94 anos de idade, preso ao leito, sem forças para caminhar. Acompanhada de amiga e vizinha, a Lúcia falou mais ou menos assim:

– Meus pais viveram casados durante 67 anos e tiveram vários filhos. Há dois anos minha mãe morreu e o pai sente muita falta dela. Doente, incapaz de se movimentar, colocamos uma campainha ao lado da cama para que o pai chame alguém quando necessitar. Ultimamente, constatamos que ele e a mãe costumam dialogar como sempre dialogaram. Indagado, ele responde que conversa com a esposa, sim, com ela mesma. Mas o que nos surpreende é que por várias vezes a campainha tocou sem a intervenção do pai e uma vez, para espanto de todos nós, a campainha soou sem que houvesse energia elétrica em casa. Outro detalhe é que a mãe costuma deitar ao lado dele, na cama do casal, a antiga cama de sempre. O pai agora deu para dormir bem rente à parede. Um filho falou que ele se afastasse da parede e aproveitasse melhor o espaço. A resposta dele nos deixou arrepiados:

– A mãe de vocês pede para deixar lugar e ela deita ao meu lado. Todas as noites.

Segundo a Lúcia, o pai conserva perfeito equilíbrio mental e jamais passou por fases de delírio. A sucessão de fatos mediúnicos testemunhados por toda a família fez com que a Lúcia saísse em busca da explicação espírita e da ajuda possível. Ao sair, ela levou para casa O Evangelho Segundo o Espiritismo e a compreensão de que a morte não existe, o que certamente ajudará a mãe desencarnada a entender a vida espiritual.

É coisa antiga que só o conhecimento nos liberta dos equívocos cultivados há muitos anos. Vale repetir o ensinamento milenar de Buda, a Luz da Ásia, que vem bem a propósito e que serve para todos os tempos: “o conflito não é entre o bem e o mal, mas entre o conhecimento e a ignorância.”.

A FRASE DO CHICO XAVIER, curtida na rede social por Mariléia Copetti: – Crê em ti mesmo, age e verás os resultados. Quando te esforças, a vida também se esforça para te ajudar.