Ela não está mais magrinha

0
118

Os pais – ele e ela – que não foram meramente biológicos, mas pais de verdade, quando desencarnam, são muito lembrados pelos filhos que deixaram no plano físico. Lembrados até demais, porque lembranças impregnadas de tristezas causam desconforto aos que passaram para o outro lado da vida. Vivos sem corpo carnal, simplesmente porque a morte não existe. O reencontro entre pais e filhos ocorre frequentemente durante os sonhos. Outro dia, li comentário da Vera Carvalho Fett, filha do confrade Léo Fett, em que ela, saudosa do pai que era muito apegado aos filhos, escreveu:

– Li num livro que quando dormimos nos encontramos com aqueles que muito amamos e às vezes os sonhos são momentos vivenciados com eles. É o que me conforta.
Outra santo-angelense, a Caroline Franco, filha única, ainda não assimilou a desencarnação da mãe Maria Neli, ocorrida há dois meses. Pelo correio eletrônico, a Caroline me pergunta onde poderá adquirir o meu livro de crônicas “Pra Cabeceira da Cama”, que traz depoimentos insuspeitos sobre diversos episódios mediúnicos. A leitora conta que desde a separação provisória da mãe tem lido muitos livros espíritas para tentar compreender um pouco mais a vida após a morte. Mas a Caroline é uma felizarda, pois já recebeu a visita da dona Maria Neli, a mãe desencarnada, através do sonho, como ela relata para a coluna, que acompanha semanalmente:

– Tive um sonho com ela no dia do meu aniversário. Foi muito emocionante e muito real! A minha mãe tinha câncer e lutou três anos contra a doença. Faleceu no dia 8 de março de 2014. Sou a única filha e mãe do Bernardo, o neto amado que ela deixou na terra. Sonhei que eu estava caminhando pela rua e me encontrei com ela justamente perto da minha casa. Ela se apresentou alegre, ria muito, ao passo que eu, espantada, não entendia nada e me perguntava “mas ela não faleceu? Como é possível isso…” Fui ao encontro dela e, banhada de felicidade, abraçava e beijava o rosto dela. A dona Maria Neli então disse para me acalmar, que ela está vivendo bem e que a vida é assim mesmo, continua depois da sepultura. Pra terminar, posso dizer que ela se mostrou com aspecto bem melhor do que tinha em seus últimos meses terrenos. Ela até mesmo não está mais magrinha como estava ao falecer.

Já a Simone Retzlaff Rodrigues, mãe do Benhur, um dos tantos jovens desencarnados no incêndio da Boate Kiss, de Santa Maria, não tem sonho pra contar, mas me passa rápida mensagem do filho. Segundo a Simone, o recado foi psicografado pela médium Elisete Rigol, que mora em Giruá. E tem o seguinte teor:

– Mãe Simone! Mãezinha te amo, sinto teu amor todos os dias, tua oração é o maior presente que recebo. Obrigado, por tudo. Mãe, sinta minha presença, fique feliz que vou poder visitá-los. Mãe, te amo. Beijos, Benhur.
Em verdade, são muitas as possibilidades mediúnicas de comprovação de que a vida não cessa nunca nos dois mundos: o físico e o espiritual. Vale lembrar, a propósito, as palavras do Espírito Emmanuel, ditas ao Chico quando este se abalava com problemas de saúde: “Chico, tenha calma. Não se perturbe, o máximo que pode te acontecer é a morte, mas a morte não existe”.
A FRASE DO CHICO XAVIER – destacada por Araquem Albuquerque de Deus – Não lastimes as dificuldades que nos ensinam a viver. Ninguém aprende sem lições.