‘Era esse aí!’

0
136

Muitos supõem que apenas os seguidores da Doutrina Espírita enxergam e conversam com os desencarnados. Olavo Bilac, no soneto famoso, mencionou os capazes de falar e ouvir estrelas.  Os céticos acrescentam que, por isso mesmo, os espíritas são suspeitos no que afirmam. Nada mais estariam fazendo do que puxar a brasa para o seu assado… A realidade mostra que qualquer ser humano é capaz de trazer potencial mediúnico mais ostensivo.  Às vezes, esporadicamente. Às vezes, por toda a vida terrena. Há religiosos, de ambos os sexos, que procuram abafar a faculdade mediúnica para não conflitar com suas crenças. Muitas vezes não conseguem. Uns se dedicam a receitar medicamentos, outros a proferir palestras, mediunizados, ou antecipar fatos como se profetas fossem.

Eu não sei qual a religião professada pelo Polaco, espírita ele não é, disso tenho certeza. Em várias madrugadas, o Polaco começou a ver um estranho dentro de casa. Um estranho desencarnado. Ou seja, um espírito. Desconhecido para ele. Intrigado, falou para a esposa, que, por sua vez, não enxergava nada. O detalhe é que o espírito sempre se apresentava com uniforme de militar do Exército. Alguém falou para o casal que fizesse preces pelo visitante não identificado pelo Polaco. E que, mentalmente, o aconselhasse a reconhecer que ele não estava mais no cenário terreno. Que deveria buscar ajuda no meio espiritual. Deu resultado. O espírito não mais foi visto na casa do Polaco.

Meses depois o espírito foi reconhecido, de modo inesperado, quando o casal remexia coleção de fotos antigas de familiares. Os dois, despreocupados, sem lembrar do inesperado episódio das madrugadas caseiras. Fotos recém-chegadas e presenteadas pelo sogro do Polaco, despertavam a curiosidade do casal. Vistas e comentadas, as fotos iam se sucedendo, empilhadas, quando, de repente, o Polaco gritou:

– Era esse aí!

– Esse aí quem?

– Sim, esse mesmo, que eu via de madrugada aqui em casa.

O Polaco se referia ao avô paterno da esposa. O avô não era da terrinha missioneira, mas casou com moça santo-angelense e por aqui ficou até o final de seus dias terrenos. Estava inativo do Exército há várias décadas. Compenetrado, religioso, o avô não perdia cultos no templo de sua devoção. Por que será que ele aparecia aos olhos do Polaco com fardamento militar? Certamente para não deixar dúvidas quanto à sua identificação, já que o esposo da neta não o conheceu pessoalmente.

Pra encerrar: Cristiano, leitor da coluna, pergunta onde poderia encontrar “uma cartomante que saiba dizer algo sobre o meu futuro e abrir meus caminhos”. Não conheço nenhuma!  O melhor é você mesmo, Cristiano, abrir os teus caminhos. Cada um é arquiteto do próprio destino, ninguém carrega outro no colo.

A FRASE DO CHICO XAVIER, curtida por Antônio César Pinto dos Santos (47 anos de serviço na Justiça Estadual): “Examina os teus desejos e vigia os próprios pensamentos, porque onde situares o coração aí a vida te aguardará com as asas do bem ou com as algemas do mal”.