Existe um Deus punitivo?

0
118

Em meio a uma multidão de seres humanos aparentemente normais, renascem no plano terreno outros com deficiências irreversíveis. Chegam cegos, surdos, autistas, com a síndrome de Down, sem pernas e sem braços, com problemas mentais. Na falta de explicação médica convincente, os pais, às vezes, são até apontados por ignorantes da matéria como castigados por Deus. Ora, o Deus do Novo Testamento é explicado pelo Mestre Jesus como a inteligência suprema, causa primária de todas as coisas. Acima de tudo, embora a pobreza da linguagem dos homens, Deus é soberanamente justo e bom.

É de se ver que os pais dos seres especiais são, na imensa maioria, jovens e com ótima saúde física. Por que então geraram filhos tidos como diferentes? Aí entra a justiça da reencarnação. Com o livre arbítrio que temos, cada um, ainda na espiritualidade, escolhe o tipo de prova que necessita para a reeducação do seu espírito, mediante o resgate de débitos passados. Escolhe também os pais que o acompanharão em nova e difícil experiência terrena. Pais e filhos estão comprometidos por laços anteriores, não há nenhum acaso na reunião deles.

Na manhã da última quinta-feira, abordei o tema em meu espaço no programa Rádio Visão, do Paulo Renato, na Rádio Santo Ângelo. Poucos minutos depois, Robriane Raguzzoni Loureiro postava recado no Facebook para mães de crianças autistas de Santo Ângelo, destacando a ótica espírita sobre a causa de tais nascimentos. Há pais que se tornam depressivos logo após o nascimento de um filho excepcional, porque caem por terra os sonhos alimentados para o futuro profissional do herdeiro. Há os que escondem os filhos. Isso porque estão momentaneamente esquecidos do compromisso espiritual. Com toda razão, Robriane, bem consciente da responsabilidade de mãe, salienta na mensagem eletrônica:

– Todas nós, mães, pais e toda a família temos, sim, uma grande missão a cumprir nesse contexto.

Bem a propósito, o irmão de fé Diniz Kercher destacava na rede social o pensamento do inolvidável médium Chico Xavier, segundo o qual, ninguém cruza nosso caminho por acaso e nós não entramos na vida de alguém sem nenhuma razão. O pai e mãe que tiverem essa compreensão, cumprirão plenamente o que prometeram na espiritualidade ao filho de hoje, talvez o pai de ontem. Ao final, todos viajarão de volta para a vida espiritual, vitoriosos, com a alegria própria que emerge da missão cumprida.

Verdadeiramente, Deus não castiga o ser humano, não privilegia ninguém. DEUS É SOBERANAMENTE JUSTO E BOM.

A FRASE DO CHICO XAVIER – curtida por Patrícia Hassi – Estude a si mesmo, observando que o autoconhecimento traz humildade e sem humildade é impossível ser feliz.