Final feliz

0
112

A manifestação mediúnica não é exclusividade dos meios espíritas. Ela pode acontecer em qualquer ambiente. Espíritos mais adiantados se comunicam, conscientemente. Outros que saíram da Terra com a noção de que a vida é uma só, se manifestam, inconscientemente, na busca de socorro. Em recente coluna, abordamos o que vinha ocorrendo numa residência de família luterana, no interior do município do Entre-Ijuís. A presença constante do espírito da esposa junto ao companheiro de 67 anos de convivência, ele agora preso ao leito, doente, com 94 anos de idade. A insistência dela em deitar ao lado dele, andar pela casa e apertar o botão da campainha ao lado da cama, provocava crises de choro no velhinho, incapaz de entender os estranhos episódios.

O leitor Giancarlo Carminati Baretta, com o proverbial senso jurídico de magistrado, trouxe sua contribuição, de inteira procedência, aliás, ao sentenciar:

– A sua crônica intitulada de ELA CONTINUA AO LADO DELE, a meu sentir revela o amor incondicional e transcendental que ainda existe entre ambos os cônjuges; ela já desencarnada e ele ainda no corpo físico, encarnado na matéria, muito embora debilitado pelo avanço da idade cronológica. Acredito tratar-se de um testemunho indesmentível e insofismável de comunicação mediúnica entre o corpo físico e o corpo espiritual, cujos laços de amor não foram rompidos e talvez nunca o serão. Assim, em minha modesta opinião, penso que caberá a essa família, e muito especialmente ao cônjuge ancião, entender o fenômeno, e, em um gesto de amor e ternura, ajudar a esse espírito desencarnado, compreender a sua verdadeira dimensão espiritual.

Fortalecido pelas preces de O Evangelho Segundo o Espiritismo, levado por uma das filhas, o velhinho mudou de posicionamento mental, passou a entender a continuação da vida. E tal como opinou o Giancarlo, parou de chorar ante a aproximação da esposa e fez ver a ela a mudança de plano existencial. Ela não está mais no cenário terreno, precisa se adaptar a um novo tipo de vida, precisa da ajuda de irmãos socorristas. O rótulo religioso terreno não abre as portas do Mundo Espiritual para ninguém, não dá para esperar ser recepcionado por anjos. Com conhecimento de causa, o Chico Xavier nos advertia que, no outro lado da vida, ninguém quer saber o que fomos, o que possuíamos, que cargos ocupávamos no mundo; o que conta é a luz que cada um já tenha conseguido fazer brilhar em si mesmo.

Através do recado eletrônico, Lucila, uma das filhas do casal de ascendência alemã, nos conta que a paz voltou a existir no lar do interior entre-ijuiense. A ansiedade de todos foi substituída pela calma. Eis o que ela escreve:

– O pai agora está bem mesmo, tudo depois da conversa franca que teve com o espírito da minha mãe. Ela não tem mais aparecido em casa e veja só: ela também parou de apertar a campainha que tem ao lado da cama dele. Continuamos todos a fazer as preces postas no final de O Evangelho Segundo o Espiritismo. Qualquer dia, voltarei à sede da Sociedade Espírita Amor ao Próximo para comprar livros, quero ter maior entendimento da Doutrina Espírita.

Lição do episódio para todos nós: a morte não existe. Felizmente, só existe vida no Universo.

A FRASE DO CHICO XAVIER – destacada por Débora Schmidt – A sua irritação não solucionará problema algum. O seu mau humor não modifica a vida. Não estrague o seu dia.