MEDIUNISMO NA MÚSICA

0
198

Compositores, pintores, escritores famosos recebem forte influência mediúnica sem se dar conta disso. Muitas vezes constam como autores, quando, na verdade, apenas serviram de instrumento para artistas desencarnados, que continuam bem vivos e atuantes na matéria. Paul McCartney, um dos componentes dos Beatles, contou a origem de um dos maiores sucessos da banda inglesa: Let it Be (Deixe Estar). Quando adolescente, Mc Cartney pedia ajuda a mãe chamada Mary, quando envolvido em algum tipo de encrenca. A resposta tradicional de Mary era “Let it Be”, que tudo vai passar. Adulto, envolvido com problema pessoal, certa noite McCartney dormiu angustiado. De madrugada, ele teve sonho muito nítido com a mãe Mary, que voltou a lhe dizer e acalmar:

– Let it be.

Quando acordou, o Beatle compôs num instante a música que se transformou em sucesso mundial, e a letra menciona o encontro que McCartney teve com a mãe Mary através do sonho. Aliás, o sonho é o modo mais comum que temos para o reencontro com familiares e amigos.

Enrico Caruso até hoje é mencionado como o mais respeitado tenor da Itália e do mundo. O napolitano era o artista mais bem pago de sua época. Caruso impressionava o público com o timbre potente de sua voz e com a forma com que interpretava seus personagens no Teatro Scala, de Milão. Nascido em 1873, Caruso deixou o mundo físico em 1921.

Talvez a canção mais linda do repertório de músicas italianas se chama justamente Caruso. O compositor dela se chama Lucio Dalla, nascido em Bolonha e desencarnado na Suíça, em 2012, aos 68 anos. Há poucos dias, recebi vídeo do amigo Ivan Frey, em que a cantora Lara Fabian, canadense de ascendência italiana, dá interpretação espetacular à música Caruso.

O compositor Lucio Dalla contou como surgiu a belíssima canção. Lucio estava hospedado em luxuoso hotel à beira do Mar Adriático, uma das mais requintadas paisagens italianas. A noite convidava para sono reparador, tendo como pano de fundo o barulho das ondas do mar. O cantor-compositor dormia bom sono, quando, na madrugada, sentiu um toque para levantar. Ouviu, então, ordem para não deixar dúvidas. “Levanta, pega o violão e vamos compor uma música.” Em menos de meia hora a canção estava pronta, letra e música, mas Lucio não sabia que título daria a ela. De manhã, procurou o gerente do hotel, contou a ele o episódio da madrugada, pediu que ouvisse a canção e sugerisse título. O gerente escutou atentamente e, ao final, deu o título “Caruso”. Surpreso, Lucio Dalla perguntou o porquê de Caruso, já que a letra não menciona o inesquecível tenor e ouviu a resposta:

– Porque você está ocupando o apartamento em que Caruso sempre se hospedava quando vinha aqui.

A propósito, o magistrado aposentado Giancarlo Baretta traz seu comentário:

– Essa canção é de uma melodia ímpar. Não há outra explicação para tanta inspiração de Lucio Dalla que não seja a sua comunicação com o incomparável Caruso!

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here