Qual a explicação?

0
179

O lendário William Shakespeare falou que entre o céu e a terra há coisas que a nossa vã filosofia desconhece. Entre essas coisas, inúmeras,  estão as intervenções cirúrgicas feitas com facas, canivetes e tesouras pelo Espírito do médico alemão Dr.Fritz que, por muito tempo, operou através do médium mineiro Zé Arigó. A propósito, jornalista inglês acompanhou muitas cirurgias lá em Congonhas do Campo e escreveu livro laudatório sobre o cirurgião da faca enferrujada. Como explicar essas cirurgias? Como explicar as muitas curas obtidas em poucos instantes? Foi Deus quem curou? Foi a união dos médicos espirituais com os médicos terrenos?

O advogado santo-angelense Alexandre Almeida passou por sério problema de saúde há alguns anos. De Catalão, Goiás, onde agora reside e trabalha, o Alexandre presta depoimento para a coluna:

– Por experiência própria, acredito que o Plano Superior somente opera naqueles que realmente desejam a cura. Na minha modesta opinião, o tratamento espiritual sempre será complementar, jamais alternativo. Pra mim, a cura depende, acima de tudo, da medicina terrena e da mudança de comportamento do enfermo, para que ela se opere como um todo.

O amigo Luiz Nicola, residente nesta cidade,  também tem o que comentar sobre o Dr.Fritz:

– Em janeiro de 1966, viajei de São Leopoldo a Congonhas do Campo, onde vivia o médium Zé Arigó. Ele atendia aos necessitados sem qualquer contraprestação financeira. Então pude constatar a atuação, os dons mediúnicos do Zé. Algo que me marcou para sempre. Não li e não me relataram. Eu vivi a situação de paciente portador de enfermidade pertinaz à procura de uma solução alternativa. E obtive êxito.

O jornalista Paulo Germano, de Porto Alegre, conta que o respeitado professor de Jornalismo Fábian Cherkanoff sofreu três AVCs e uma isquemia cerebral. Tremia muito nas mãos e pernas. Não conseguia parar de pé e nem escrever, embora o competente tratamento neurológico. Com fraqueza cada vez mais severa o professor procurou ajuda do Dr.Fritz, agora operando através de Mauro Vieira, modesto servente de obras de Rosário do Sul. Amigo de Fábian, o jornalista Paulo Germano, até então pessoa totalmente incrédula sobre fenômenos mediúnicos,  está assombrado com a cura do professor de 43 anos.

– Pressão intracraniana bem acima do aceitável. Tem muito sangue derramado aí dentro – constatou o Dr.Fritz após cinco segundos com as mãos sobre a cabeça do Fábian.

Era o mesmo diagnóstico dos médicos terrenos. Pois em cirurgia de dois minutos, o Fábian estava liberado. Desceu da maca sem tremer, as olheiras haviam sumido e começou a caminhar, sob o choro dos familiares. Dias depois, exames feitos, um neurologista confirmava a cura do Professor de Jornalismo. Paulo Germano quer entender como se operou o fantástico restabelecimento da saúde do amigo, algo inexplicável mesmo para o conhecimento do nosso atual estágio evolutivo.
Detalhe significativo: tanto o Zé Arigó como o Mauro Vieira, médiuns inconscientes, jamais tiveram uma aula de Medicina.

A PALAVRA DO ESPÍRITO ANDRÉ LUIZ, pela psicografia do médium Chico Xavier, curtida por Janira Mânica: “Pense no seu contentamento quando alguém lhe endereça palavras de afeto e simpatia, e faça o mesmo para com os outros”..