Respingos do passado

0
219

Outro dia, a médica santo-angelense Karina Capobianco, filha do médico Miguel Capobianco e da Astrid Gatz Capobianco, publicou na rede social a fotografia do avô Dr. Gatz, que construiu o primeiro hospital em Santo Ângelo, entre 1927 e 1930. O hospital do médico alemão, muitos anos depois tornado cidadão honorário desta terra missioneira, foi também um dos primeiros do interior do Estado. Junto com a foto, em que o Dr. Gatz aparece engravatado, impecavelmente trajado, a Dra. Karina trouxe detalhes inéditos para nós sobre seus antepassados, que anotei e divido com os leitores desta coluna:

– A foto foi tirada após a chegada ao Brasil, antes da Segunda Grande Guerra Mundial. Ele tinha sido Capitão Médico na Primeira Grande Guerra Mundial (1914-1918), tendo servido na Bélgica. Lá conheceu minha avó Gerda Gatz. Na época, a Bélgica era ocupada pela Alemanha. A história deles é linda, daria um filme. Ela veio junto com ele para Santo Ângelo, mesmo sem a permissão dos pais e se casaram no Uruguai. Imagina tudo isto naquela época…

Assim como a Dra. Karina, outro santo-angelense que trocou a Capital das Missões pela Capital do Estado foi o Ari Edegar Hruschka. Depois de um tempo no Exército, o Ari foi trabalhar numa empresa de engenharia de telecomunicações e energia em Porto Alegre. Dia desses, ele postou foto em que aparecem Germano Luiz Stümpfle e o pai dele, Ari Hruschka, ambos cunhados, junto com outro cidadão não identificado, participando de festa de aniversário da Rádio Santo Ângelo. Comentei que tive a oportunidade de conhecer o pai dele. Então recebi a seguinte resposta:

– Eu sou filho do Ari, do seu segundo casamento com minha mãe Íris Spierena Hruschka, que você talvez também tenha conhecido. Ela era enfermeira e trabalhou vários anos no Hospital Santa Izabel, cuja dona, Gisela Stümpfle, era irmã do meu pai.

Como todos sabem, o Hospital Santa Izabel está desativado, mas o médico Rolando Stümpfle mantém a tradição da família e lá permanece com seu consultório.

PRA CABECEIRA DA CAMA – Dois ministros do Tribunal de Contas (da União e do Estado), João Augusto Ribeiro Nardes e Adroaldo Loureiro, estão lendo as crônicas que trazem um pouco dos fatos e figuras de Santo Ângelo. A confreira Marjorie Krinski Corrêa, da Academia Santo-angelense de Letras, presenteou amiga carioca, Cynthia, com um exemplar autografado do livro que está prestes a esgotar a edição de mil exemplares. A Marjorie me brindou com julgamento por demais lisongeiro: “Pra Cabeceira da Cama é um dos livros mais generosos que li e, ao meu ver, isso é artigo de luxo para dividir com quem queremos bem”.

A FRASE DO CHICO XAVIER – destacada por João de Deus Cassel – Abençoado é aquele que age com o coração limpo e mantém nele o amor pelo próximo.