Retalhos da internet

0
120

De Brasília, o bancário César Rigo manda recado: “Tio Oscar, tudo bem? De sexta para sábado sonhei com o Marcelo (desencarnado em acidente de automóvel em Curitiba, em 1985). Ele me mostrou um jogo de videogame que não existe aqui na Terra, onde uma máquina conecta em outra e possui jogos incríveis. Ele me pareceu estar bem. Grande abraço”. O César e o Marcelo, quase da mesma idade, eram muito amigos e cresceram praticamente juntos, embora o César morasse em Santa Rosa, filho de Afonso Rigo e da minha sobrinha Sandra Regina Rockenbach.

Daqui mesmo, Luiz Nicola Vieira menciona que, dentre todos os irmãos portadores de mediunidade de cura que teve a ventura de conhecer, destaca cinco: Pirajú Nicola (nascido em Santiago, mas residiu em Caçapava do Sul até deixar o mundo físico). A cantora Fafá de Belém seguidamente buscava os conselhos do Pirajú, como muita gente de Santo Ângelo; Anita Laus, que residia em ponto central de Ijuí; José Itamar de Freitas, o famoso Zé Arigó, que esteve preso sob a acusação de curandeirismo, morador de Congonhas do Campo, Minas Gerais; Arvando Beck, conhecido como seu Orlando, morador em casinha humilde no Bairro Haller, pessoa totalmente desapegada de bens materiais; e Noêmia Machado, que em décadas passadas teve uma escola de datilografia num prédio de propriedade de José Lucca, na Rua Marechal Floriano.

Elso Kwiatkowski , inspirado pelos sábios ensinamentos do médium Francisco Cândido Xavier, escreve com inteira razão:

– Quando guardamos mágoas, raivas, rancores, estamos engolindo males que vão se manifestar futuramente em nossa saúde. Quem não consegue perdoar, alimenta a raiva, que se transforma em doença. Se as pessoas se dessem conta de que muitas coisas ruins podem ser evitadas, mudariam seu procedimento. Basta pensarmos de forma diferente, agirmos de forma diferente, descobrir que o sorriso pode provocar outro sorriso, que o aperto de mão acaricia o coração, que o abraço aquece e desperta o amor. Se soubéssemos disso tudo, semearíamos só o bem para colher o melhor.

Certa vez, o médico Maurício Lunardi me falou que o papa da urologia no Rio Grande do Sul é o dr. Mirandolino Mariano, que tem consultório na Capital do Estado. Há poucos dias estive lá e conheci um profissional que transmite segurança ao cliente. Vários cursos no Exterior e diálogo com o paciente. Mas conheci alguém que é exemplo de como vencer na vida, embora de origem humilde. Criado pela tia Joana Mariano, mulher negra, morava no Bairro Pippi, o renomado urologista estudou no Onofre Pires (lembra da professora Nair Kaiser Tonetto) e no Seminário. A Igreja Católica perdeu um padre, mas a Medicina ganhou um excelente profissional. Convencido por Dom Aloísio Lorscheider que não tinha vocação para o sacerdócio, o dr. Mirandolino deixou o seminário e foi estudar em Porto Alegre, apesar de todas as dificuldades financeiras que enfrentou e venceu com muita garra e determinação. Um nome de respeito na medicina gaúcha.

De Porto Alegre, a professora aposentada Vanda Feijó, viúva do inesquecível jornalista Isac Feijó, (o Tabelião Gilberto Nascimento, de Roca Sales, foi um dos alunos da Vanda no Onofre Pires), se manifesta sobre o meu livro de crônicas Pra Cabeceira da Cama: “Tá lido e relido. Muito bom! Quanto mais aprendo mais aumenta a minha responsabilidade. Não é fácil andar no caminho certo neste mundo cheio de tentações e maldades. Sorvi cada palavra, deliciosamente, agora já passei adiante para uma pessoa amiga. Um grande abraço”. De carona, a Luciana Feijó emenda: “Adorei o teu livro”.

A FRASE DO CHICO XAVIER – destacada por Leda Stocker Ries, santo-angelense casada com Willibaldo Ries há 56 anos, residentes em Porto Alegre – O Espírito que adquire a virtude do perdão não achará dificuldade em mais nada.