Uma trajetória de vida

0
153

Leitora da coluna não está entendendo nada dos problemas que enfrenta neste cenário, que é justamente o de conhecimento de nós mesmos. Estamos aqui pagando dívidas pretéritas. Precisamos compreender a finalidade da existência humana. Não dá pra entender mesmo o porquê dos sofrimentos sem o conhecimento das grandes leis universais. Leis que não foram elaboradas por qualquer crença religiosa terrena. Leis que expressam a Justiça Divina, muito diferente da nossa, completamente diferente. Desorientada, a leitora extravasa sua inconformidade:

– Meu casamento durou vinte e seis anos. Meu marido parecia perfeito. Tivemos três filhos. Um dos filhos se envolveu com drogas. Depois de um tempo descobri pela internet a traição toda dele (o marido), de forma sórdida e mesquinha,  com uma companheira de templo religioso,. Ela frequentava minha casa e minha igreja. Acabamos nos divorciando. Morávamos em outra cidade e eu voltei para cá só com a roupa do corpo, doente e destruída, física e espiritualmente. Foi pra mim o caos. Tentei me matar, mas, sinceramente, na hora vi minha mãe falecida me abraçar e dizer a mim que não fizesse nada, pois o que eu precisava era de um abraço e ela veio para me dar o abraço. Até hoje não consigo entender tudo isso e em certas horas parece que vou enlouquecer de dor e desespero. Gostaria de uma orientação, por favor.

Só a reencarnação para explicar o drama da leitora, o enredo criado pelos personagens aí envolvidos. De acordo com as minhas limitações, consoante o conhecimento espírita, respondi assim para a leitora:

– Minha cara leitora. Nós todos habitamos o planeta de provas e expiações, que é a Terra. Nós todos somos seres imperfeitos, carregados de erros que trazemos de vidas passadas. Nós todos, sem exceção, estamos subordinados a leis inderrogáveis e irrevogáveis da Justiça do Plano Espiritual: causa e efeito, reencarnação e evolução. Ao estudar e entender essas leis e cotejá-las com nossas trajetórias de vida encontramos as respostas apropriadas. Respostas que, decididamente, não achamos enquanto ignorarmos quem somos e o que andamos fazendo por aqui. Todas as pessoas envolvidas em tua história são bem conhecidas entre si, todas tiveram envolvimentos em vida anterior, em diferentes papéis. Com o conhecimento que liberta, mais resignação, coragem, paciência e o auxílio poderoso da prece, você recuperará o equilíbrio. Felizmente, você é a vítima do enredo, não a causadora, o que conduz a uma consciência tranquila. Não há prêmio melhor, não há riqueza mais importante do que a consciência tranquila. Ao correr de vidas sucessivas, todos os personagens que fazem parte de tua vida haverão de se reencontrar e se reconciliar, em melhores condições evolutivas. Uma sugestão de leitura: O Livro dos Espíritos, a parte filosófica dos ensinamentos captados por Kardec de Espíritos Superiores. A leitura atenta dessa obra monumental, surgida em Paris em 1857, mas, espantosamente, sempre atual, dará conforto e orientação certa para a amiga.

Em seguida, veio a manifestação da remetente, assim resumida:

– Vou ler O Livro dos Espíritos, que me sugeriu. Preciso buscar muita paz para o restante da minha caminhada terrena.

A FRASE DO ESPÍRITO SCHEILLA, enfermeira alemã em sua última passagem pelo planeta, com psicografia do médium Chico Xavier: “A felicidade do amanhã começa nos pensamentos que cultivares agora”