Você acredita em olho gordo?

0
133

Leda Stocker Ries foi a primeira santo-angelense a receber o brevet do Aero Clube, com direito a banho de óleo. Fato que sacudiu o marasmo da então Cidade dos Cinamomos. Filha do estofador Reinaldo Stocker, a Leda casou com o comerciante Willibaldo Ries (desencarnado há pouco e dono do Supermercado Cocefel, na 25 de Julho) e logo foi morar na Capital do Estado. Outro dia, pelo correio eletrônico, a Leda relatou algo incomum, digno da apreciação dos leitores da coluna:

– Vou contar uma coisa que aconteceu comigo nesta semana. Ganhei de amiga um pequeno pé de pimenta. Ela falou que a pimenta iria me proteger contra maus fluidos. Adorei e até transplantei para um vaso maior. Recebi algumas visitas e não é que as frutinhas (pimentas vermelhas) murcharam! Será que foi o chamado “olho gordo”?

Há mil histórias a respeito, verídicas e inverídicas, e todo mundo sabe contar alguma. Certa vez, presenciei o lance infeliz de senhora enfurecida com as tropelias de um cachorro, que então gritou a plenos pulmões: “Tomara que esse cachorro morra” e no dia seguinte o animal estava morto, certamente em razão de problema cardíaco. Qual a explicação para essas coisas? A amiga Marta San Martin traz o seu depoimento:

– Bem, o ser humano não é só corpo físico, nós somos energia. Vou contar um fato ocorrido na casa dos meus pais, em Santa Vitória do Palmar. Tínhamos uma vizinha que seguidamente estava em nossa casa pra conversar e tomar chimarrão. Um dia, minha mãe foi mostrar a ela um pé de ameixeira carregado de frutas. Para surpresa da família horas depois as ameixas em grande parte estavam caídas no chão. Minha mãe comentou que a vizinha era boa pessoa, porém o mesmo já havia acontecido com outras plantas em casa e sempre na presença dela. Na verdade, somos energia e nem sempre sabemos que podemos ser responsáveis por esses resultados negativos.

A leitora Guiga Lopes, também residente na Capital das Missões, traz a sua contribuição para nossa ilustração:

– Meu pai contava sobre episódio em que um tio todo orgulhoso mostrou a certa pessoa uma ninhada de pintos que acabara de descascar, perfeitos, sadios. A pessoa visitante, admirada com a bela ninhada, falou que não tinha sorte com a criação de pintos, o que o entristecia. Horas depois, o visitante tinha ido embora, e para desagradável surpresa da família todos os pintos estavam mortos. Mistérios!

Rosaura Fabrício sabe que as vibrações negativas geradas por alguém afetam plantas, animais e pessoas. Estela Medeiros se apoia na sabedoria campeira para dizer que acredita, sim, no chamado “olho gordo”, mas esclarece a quem interessar possa, que pimenteira transplantada não dá certo, dificilmente a planta vingará com os frutos. Maria Margarida Kowalewski, aposentada do Banrisul e bacharel em Direito, não acreditava na influência dos maus fluidos, “porém depois que aconteceram fatos semelhantes aos comentados, não tive mais dúvidas”.

O colunista David Coimbra diz que comer na companhia de uma pessoa desagradável faz mal.

A FRASE DO CHICO XAVIER, curtida por Eleasibe José Gobo: “Por maior que seja a dificuldade, jamais desanime. O nosso pior momento na vida é sempre o momento de melhorar”.