Nada é para sempre

0
125

 No atual estágio terreno a felicidade ou o sofrimento são passageiros. Todo o rol de situações prazerosas, de dor ou de frustrações, não são definitivas. Tudo passa, tudo muda, tudo se renova. Que triste se assim não fosse, pois sempre há esperança da virada da sorte, e sabemos, dificilmente a casa terrena comporta a felicidade plena. Aqui funciona aquele adágio: “De passo em passo, um espinho; de légua em légua, uma flor”.

Existem casas planetárias neste universo infinito onde a felicidade impera. Nosso próprio planeta dará o salto na escala dos mundos, renovando sua humanidade em vários aspectos, principalmente no quesito moral. Esse tempo vira inexorável transformando completamente a situação de bem estar junto às pessoas que terão o privilégio de habitar a Terra renovada. Você já questionou o que está acontecendo hoje no Planeta? A Europa em crise? Os países árabes sofrendo os ventos da mudança e da renovação? As bolsas caem vertiginosamente pelo mundo, assustando investidores, bancos, países. Uma brutal recessão assombra o planeta, pondo meio mundo em polvorosa, no intuito de achar alguma fórmula mágica de blindagem. A natureza e seus elementos há cada dia mais intensos como agentes transformadores?

Se estás sofrendo por qualquer motivo: doença, desamor, crise financeira, perdas… não passo o endereço de qualquer religião – isso compete a ti procurar – mas convido à reflexão, a racionalidade, a pensar que nós estamos aqui apenas de passagem, passageiros do universo que somos. Temos um tempo que se esgota no badalar das horas. Esta constatação deve estar presente sempre em nosso dia. Esse punhado de horas, dias, anos, é tão incerto quanto o dia de amanhã. Nada é para sempre!

A infância passa rápido. A adolescência parece uma eternidade de incertezas. De repente, passou. A maturidade caminha acelerada para a velhice. Enfim, o frescor dos dias passa e nos leva de roldão. As sobras, o rescaldo dessa viagem pelas formas, são a experiência, são nossas obras. Sim, obreiros é o que somos! Construímos o nosso castelo. Cada qual constrói o seu. Com tijolos e atos, com argamassa e convivência. Uma obra intransferível, particularíssima, inigualável. Com nossa grife, nossa marca.

Não chore! Não fique triste! Não desista! A vida é pródiga em nos oferecer recomeços. São oportunidades novas que são oferecidas. Um convite à renovação, a nova tentativa. Nada esta perdido, tudo se renova. Da mesma forma que após o inverno tristonho, surge florida e perfumada a próxima estação. E ela eclode em renovações, em renascimentos. A vida é mais ou menos assim. Uma eterna sucessão de renascimentos, como as estações.

Somos tão privilegiados, tão fraternamente acarinhados e não nos damos em conta. Esquecemos de agradecer a entidades físicas e espirituais que acreditaram e acreditam em nós. Quantas vezes chegamos a pontos que, juramos, ser o precipício. A um passo… o nada, o fim! Para nossa admiração, vemos-nos em outro momento caminhando com toda a serenidade na continuação de nosso destino. E o precipício ameaçador? Onde ficou? Como o ultrapassamos? Não temos as respostas, apenas a certeza que o caminho continua, e nós não paramos de percorrê-lo. São os doces mistérios da vida. A fé e a esperança talvez não consigam explicá-los, mas nos confortam sobejamente.

Serenemos as emoções. Tenhamos certeza que hoje, nada é para sempre. Tudo muda, tudo se renova. O crescimento, embora seja infinitamente pequeno, é positivo. Somos incapazes para qualificá-lo, carecemos de instrumental que nos foge à compreensão. Mas vamos em frente… A palavra de ordem é: Coragem! Não te abales com os embates pois nada é para sempre.