40 anos

0
171

A partir desta primeira coluna de 2014, a retrospectiva do que acontecia 40, 30, 20, 10 anos atrás. Remexi arquivos, consultei a memória. Voltei no tempo. Começo por 1974, ano do primeiro sequestro na Capital.
Alexandre Moeller, 13 anos, foi levado quando chegava ao Colégio Anchieta, onde estudava. No mesmo dia seu pai Getúlio Moeller recebeu telefonema, pedindo resgate de CR$ 450 mil. Depois do pagamento, Alexandre foi encontrado debaixo de uma ponte. Universitários raptores foram presos e condenados.

40 anos II

Em Portugal, acontecia a Revolução dos Cravos. Exército e operários contra a ditadura. Nos Estados Unidos, Richard Nixon renunciava, evitando impeachment, envolvido no Watergate. Brasileiros vacinavam-se contra surto de meningite. Incêndio do edifício Joelma matava 189 e feria 300 pessoas.

40 anos III

Em Santo Ângelo, Hélio Basso e Jose Elmann eram escolhidos pela Acisa, industrial e comerciante de 1974. Iglenho Burtet era eleito novo presidente da entidade. Município destacava-se na arrecadação do antigo ICM, colocando-se entre os 10 mais no índice de retorno.

Arthur Bess, Refrigerantes Vontobel (atual Vonpar) e Curtume Basso eram destaques.

40 anos IV

Clube 28 inaugurava seu Ginásio Coberto com recursos próprios e da SEC.

Governador Euclides Triches recebia título de Cidadão Honorário. Também decretava a criação do 14º BPM, sediado no município, abrangendo 20 cidades. Anunciava-se efetivo de mil homens.

Na próxima, principais fatos de 1984.

Estradas, apagões…

Assuntos que indignam a todos, direta ou indiretamente: condições das estradas estaduais, federais e os apagões.

Lamenta-se a falta de planejamento e afoiteza da administração estadual em retomar as rodovias estaduais e federais.

Cabe agora, ao DAER, executar a manutenção das rodovias gaúchas, comandado pela Agência, criada para a finalidade.

Estradas, apagões… II

Resultado são estradas, estaduais ou federais, mal conservadas, prejuízos e transtornos.

O DNIT, que deveria assumir as federais, ainda não o fez. Trechos devem ser entregues ao Exército para que execute os trabalhos.

Desorganização e burocracia infelicitam a quem tem de utilizar as rodovias. Há quem sinta saudades dos pedágios…

Estradas, apagões… III

Quanto aos apagões, sinalizam a ausência de planejamento da CEEE e das concessionárias.

Com raras exceções, não há boas notícias nas regiões concedidas. Mas não se pode apenas colocar a culpa na ventania, chuvarada e demais eventos naturais. Faltam geração, distribuição e pessoal para atendimento dos estragos.

Maior problema ainda é a geração de energia. Uma das culpadas preferidas do setor é a seca. Todavia, não houve diversificação no modelo gerador. A geração eólica está aí para ser explorada!

Desde 2011 foram centenas de apagões. Sobra-nos ouvir o desgastado, senão descontextualizado, blábláblá do ministro de Minas e Energias, Edison Lobão.

Representatividade

Preocupação está na internet, autoria do advogado, Silvano Saragoso. Há tempos também a exponho nas redes sociais e noutras mídias. Chega de prejuízos causados pela falta de representatividade parlamentar.

Com a saída do cenário político-partidário de Adroaldo Loureiro, para o TCE, município vive condição singular, não possuindo representante na Assembleia. Na Câmara, o vazio remonta a ida de Augusto Nardes ao TCU.

Este ano oferece excepcional oportunidade para modificar o cenário.

Representatividade II

Para aproveitá-la é necessária uma nova mentalidade na comunidade, que evite o desastre das últimas eleições, quando nenhum candidato, genuinamente santo-angelense, se elegeu.

Santo Ângelo conhece sua força quando tem objetivos convergentes. Elegeu, por anos, homens visceralmente ligados à comunidade. Lembro Augusto Nascimento e Silva, Alcides Costa, Unírio Machado, Hed Borges, Dario Beltrão, Leônidas Ribas, Alcebíades de Oliveira, Celso Bernardi, Valdir Andres, Constantino Picarelli, Mauro Azeredo, Pastor Reinaldo e os citados, Adroaldo Loureiro e Augusto Nardes.

Representatividade III

Primeira tarefa será desestimular a que candidatos pouco ou nada identificados invadam o município, na busca do voto. Deve se oferecer opções ao eleitor, com fortes candidaturas, se possíveis locais, a ambos os cargos.

Na eventual composição de um candidato local a estadual com um a federal de outro município regional (ou o inverso), oficializar em convenção o comprometendo com os pleitos do município.

Depois, é trabalhar coletivamente, elegendo deputados estadual e federal, daqui ou identificados, barrando candidatos piratas.

Diversas

Gauchada cobrando nas redes sociais que o Executivo santo-angelense proporcione ao desfile Farroupilha a mesma logística do Carnaval. Outro pleito com timbre de urgência é encontrar lugar à Associação dos Ferroviários.

Entidade reivindica a antiga gare onde se localiza o Memorial Coluna Prestes.

*****Instalação imediata da Delegacia da Mulher na pauta do delegado regional de Polícia Fernando Sodré. Está aceitando apoio!

*****Embora bem-sucedido – afora questões pontuais entre a primeira e segunda colocada – Carnaval parou na Câmara de Santo Ângelo. Dois vereadores (entre eles uma foliona) questionaram valores dos ingressos. Pelo apoio institucional que organizadores obtiveram, arquibancadas populares vendidas a R$ 20 ficaram pesadas.

*****Copa do Mundo consumirá a obscenidade de R$ 25 bilhões dos cofres públicos. Dois terços dos ouvidos em pesquisa rejeitam os gastos. Entendem que deveriam ser aplicados na educação, saúde e segurança.

*****Incêndio das 10 viaturas da Brigada, é crime comum, ato vandálico, ou tem viés ideológico?

*****Delator do Mensalão Roberto Jefferson cumprindo seus 7 anos de prisão. Contará com apoio do PTB para quitar multa (R$ 746 mil)? PT instituiu ‘vaquinhas’ para pagar multas dos seus mensaleiros.

*****Vereador Paulo Azeredo, informando aprovação, por unanimidade, do projeto de lei criando Banco de Materiais Ortopédicos. Postos de saúde poderão receber e emprestar essas ferramentas. Facilitará aos sem condições de adquiri-los.

*****FHC, discursando na comemoração dos 20 anos do Plano Real, no Senado, disse ao finalizar: ‘Não dá mais. Chega de PT’.

*****Escrevo ouvindo CD contendo músicas orquestradas, presente do Fábio Birck. Obrigado, ‘grandão’!