Copa

0
133

Copa falhou exatamente naquilo que as previsões eram otimistas.

Mobilidade, segurança e estádios corresponderam.

A seleção falhou.

Poderão dizer que não era confiável. Mas perder como perdeu para Alemanha e Holanda foi demais.

Quem sempre viu os erros de convocação, métodos de treinamento, a falta deles, também acabou surpreso, pois imaginava que apesar desses equívocos poderia fazer melhor.

Não fez e agora em pleno Maracanã, fomos apenas testemunhas da vitória da Alemanha sobre a Argentina!

Diga-se, merecida!

 

Seleção

Derrota de 3×0 para a Holanda, catapultando melancolicamente o Brasil ao quarto lugar, sob vaias, deixa lições meridianas que terão de serem estudadas e aprendidas, na busca dos motivos da debacle.

Fiasco ao tomar 10 gols e fazer apenas 1, nos jogos finais, é mais do que emblemático.

Escancara má organização, falta de trabalhos táticos e a prepotência de um técnico desatualizado.

Tirando os jogos iniciais – embora alguns percalços que sinalizavam ao desastre – a semifinal e a disputa do terceiro lugar mostraram uma seleção apática, taticamente batida pelos adversários e inconvenientemente treinada, refletindo nos resultados.

 

Seleção II

Contra Alemanha e Holanda, foi amplamente dominada.

Chutões, a ligação direta e ausência de unidade entre seus setores foram gritantes.

Ao povo sobrou a vergonha. Fez sua parte, mas não houve correspondência.

Derrota acachapante da Seleção Nacional tem culpados diretos e indiretos, a principiar pelo comando técnico, destituído.

Agora é fazer um trabalho novo não apenas em métodos, mas também de cabeças. Essas terão que ser arejadas, pensando o futebol moderno.

Pena que pedir o fim da politicagem que sempre esteve presente nos piores momentos (1950 e 1966, especialmente) será como clamar no deserto.

Seria o caminho a ser trilhado. Evitaria ilações de ajustes valendo milhões de dólares a que a seleção perdesse esta Copa para ganhar mais adiante!

 

Dilma

Presidente não compareceu à festa de encerramento, antes do jogo, constrangendo convidados.

Entrega de prêmios a argentinos e alemães rendeu vaias e impropérios.

Certamente resultantes do insucesso na conquista do Hexa – que não tem culpa –, e da sua administração pela qual é responsável direta.

Dilma também foi vaiada e ofendida na abertura da Copa.

 

Telenovelas

Volto ao tema conteúdo das telenovelas. Salvo algumas, continuam privilegiando o vilão e a vilã. Mocinhos e mocinhas penam com as maldades em uma absurda maioria da trama. O que sobra se dilui entre maldades e um final róseo. Dizem ser mais fácil escrever sobre maldades e malvados.

O perigo é o prejuízo aos telespectadores mais susceptíveis, como os adolescentes. Nessas tramas embora a diatribe aumente na novela das nove, o mau-caratismo e os desvios de conduta enchem a telinha. Adultérios e traições dominam a cena.

 

Telenovelas II

Num tempo em que o crime é avassalador, campeando em todas as camadas sociais, vida e arte se confundem de segunda a sábado.

Seria dispensável este combustível adicional vindo das novelas. Nada contra elas, mas aos enredos recheados de personagens más, travestidas de psicopatas, bêbados e drogados, privilegiando o crime e a sua anatomia.

Aos bons sobram estreitos momentos, espremidos pela maldade profusamente praticada.

 

Telenovelas III

Cabe conjeturar: o produto apresentado dos horários vespertinos à noite, nos canais de TV, concorre para estimular mentes malformadas a práticas criminosas? A vida imita a ficção? A ficção imita a vida?

Sem tirar ganchos ou enfraquecer argumentos a própria novela poderia equilibrar o placar entre bem e mal. Como obra aberta tudo pode inclusive promover a desintoxicação e o abrandamento das cenas, tornando-as mais figurativas.

Mexeria no resultado, amplamente favorável aos vilões e às vilãs até o desfecho feliz oito meses depois do primeiro capítulo.

 

Encontro

Os Fugitivos, a grande banda santo-angelense que embalou bailes e reuniões dançantes na cidade e região, volta a se reunir.

Será dia 26 de setembro, na Casa do Gaúcho, Parque da Harmonia, na Capital, durante o 6º Encontro da Associação dos Santo-angelenses moradores em Porto Alegre.

Ensaios para a noitada estão em desenvolvimento, pelo que informa um dos seus integrantes, Beto Ghisleni.

Semana passada estiveram reunidos ele, Anibaldo e Peninha, escolhendo o repertório.

 

Entulhos

Evidentemente, não se trata de exclusividade o que ocorre em Santo Ângelo. Certamente noutras cidades a má destinação de entulhos também existe.

Postagens nas redes sociais impressionam negativamente, mostrando uma enorme quantidade de detritos jogada a céu aberto em vários locais. Ao que se informa, porque uma área reservada a este tipo de descarte foi desativada.

Situação exige duas ações: implantação de locais destinados a depositar estes restos de objetos, árvores e outros utensílios de grande porte, que não afetem a saúde pública, nem o ambiente, seguida de campanha de conscientização junto à população inclusive com a aplicação de penalidades aos reincidentes.

 

Leitores

Ivo José Schneider (Porto Alegre); Ubiratan de Matos Saldanha (Candido Mota – SP); Paulo Rodrigues (Porto Alegre) e o primo Guilherme Belmonte (Alagoas) solicitaram remessa de meu livro ‘Crônica do Tempo’.

Juntam-se aos leitores que desde seu lançamento deliciaram-se com as histórias, estórias e fotos nele publicadas.

Exceto Guilherme, todos nasceram, residiram, trabalharam ou estudaram em Santo Ângelo e reviveram fatos anteriores e posteriores às suas épocas na cidade.

Livro pode ser solicitado pelo e-mail [email protected]

 

Mídia

Polêmica democratização da mídia, aprovada em maio pela cúpula petista, estará fora do programa de governo, caso Dilma se reeleja.

Mesmo assim continua rendendo debates.

Lula da Silva prossegue discursando sobre a regulação dos meios de comunicação de massa.

Novo texto sugere o aprofundamento da democracia englobando os também polêmicos ‘conselhos populares’.

O que virá pela frente não fugirá desse desejo de controlar os meios de comunicação, especialmente contrários ao governo.

É preciso manter a liberdade de informação!