Eventos

0
148

Dias atrás citei Jota Lamarque e seu trabalho desenvolvido nos anos 1960.
Lamarque também foi um dos mentores do ‘Carnaval Bossa Nova’. Fora de época era realizado no 28, nas férias de meio-do-ano, mas sem perder animação. Ao som de marchinhas, frevo, samba, confete e serpentina, não fosse o frio ninguém notava ser inverno.

Eventos II
Lembro outra atração do clube: os Kerbs.
Eram realizados em outubro e por duas noites (com atividades durante o dia) a festa era absoluta, ao som de bandinhas típicas alemãs, chope, cerveja, salsichão, galinha assada, chucrute e cucas. Maioria vestia trajes típicos da Alemanha.

Eventos III
Grande momento era a escolha do Rei dos Kerbs.Eleito, distribuía muito chope, para a alegria dos súditos.
Escolha acontecia na primeira noite. Na segunda era conduzido de sua casa ao clube, por uma carreata alegre muita música e foguetório.

Reencontro
Associação dos Santo-angelenses residentes em Porto Alegre nasceu das inquietações do, na época, deputado Adroaldo Loureiro. Até ali tentativas se sucediam, não passando das primeiras reuniões.
Fundada, a Associação tem agregado e proporcionado reencontros de nascidos ou não no município, em quase 12 anos.

Reencontro II
Agora em Santo Ângelo, no dia 20 de abril, no Gaúcho, às 20 h, mais um jantar-baile. Buffet será de Chica Sperling. A música virá de Os Fugitivos e do DJ Paulo Klitzke. Reencontro tem apoio do Gaúcho e do grupo Santo Ângelo Viva Gente. Começa dia 18 encerrando-se dia 20. Ingressos individuais a R$ 50,00, na secretaria do Gaúcho, no gabinete do deputado Eduardo Loureiro ou com Marisa Meneghetti.

Reminiscências
Há 20 anos, Leônidas Ribas era reconduzido à presidência do Banco Meridional (Santander).
Era assassinado o primeiro-ministro israelense, Yitzhak Rabin. Faleciam o empresário Hans Pfaff, ex-vereador João Costa e o advogado e empresário, Ely Coelho Marchetti.
Adroaldo Furtado Fabrício era eleito presidente do Tribunal de Justiça do Estado.
Aberta a 7ª Fenamilho, presidida pelo médico Rolando Stumpfle.
Superintendência Regional do Banrisul foi instalada na cidade.

Manifestação
Pacífica manifestação na sexta, 13.
Surpreendente a posição do presidente da CUT, Vagner Freitas. Segundo ele, manifestação não era a favor do governo, mas contra a política econômica, os juros altos e o crédito escasso.
Reivindicou retirada das MPs que alteram regras do seguro-desemprego, auxílio doença e da pensão por morte.
Assegurou que somente assim Dilmareconquistará a confiança dos movimentos sociais.

Manifestação II
No domingo, 15, também ordeiramente, Brasil foi às ruas contra a corrupção e o governo. Sobraram protestos à classe política, parte envolvida no Petrolão.
Vestindo verde-e-amarelo, cantando o Hino Nacional, bradando palavras de ordem, em São Paulo foram mais de 1 milhão de pessoas descontentes.

Manifestação III
Gritos de fora Dilma, pedidos de impeachment, renúncia e intervenção militar, ouviam-se e liam-se nos cartazes e faixas.
Pelos mesmos motivos, milhares de gaúchos foram às ruas no interior e na Capital.
Força dos protestos obriga governo a adotar medidas que atendam a população.

Manifestação IV
No dia seguinte, Dilma falou as mesmas generalidades, abatida e mais humilde, a ponto de pedir trégua. Até ensaiou reconhecer erros. Suas aparições na TV provocaram panelaços Brasil a fora.
Ainda não é hora de um impeachment, mas se a operação Lava-jato provar que o tesoureiro do PT usou dinheiro do Petrolão na campanha (tesoureiro-geral, João Vaccari Neto e outras 27 pessoas, foram denunciados pelo MPF), a lei eleitoral determina que seja cassada.
A presidente precisa recuperar confiança da população, mexer na política econômica, fazendo o país voltar a crescer.

Degringolou
Como livre pensador, descolado de siglas partidárias, mas não apolítico, após os protestos, revisito alguns dos motivos que levaram a atual administração a enfrentar ira dos brasileiros e ao mau momento da presidente, cujas pesquisas mostram a fase minguante de aprovação a sua administração (13%). Degringoladadecorre das atitudes que tomou logo após reeleita por estreita vantagem.

Degringolou II
Margem tênue deveria tê-la alertado, a seus marqueteiros e articuladores políticos. Mas não. Formou ministério opaco, tomou medidas impopulares, encastelou-se no Planalto e dali leu um discurso, verdadeiro equívoco político.
Quando deveria cobrar transparência na operação Lava-jato (sendo citada por Janot que alegou não ter competência para investiga-la), deixou que agentes de seu governo tentassem abafar as investigações.

Degringolou III
Aproveitou preceito legal para encarapitar Dias Toffoli, ex-advogado do PT, entre os que julgarão envolvidos na rapinagem praticada na outrora maior estatal brasileira.
Depois de ter gasto em demasia (e mal) no primeiro mandato, agora pede que todos peguem junto para o Brasil voltar a crescer. Enquanto se nega a reduzir número de ministros, diminui recursos para saúde, educação, direitos trabalhistas e sociais como o Minha Casa Melhor. Balanço da Petrobras espera há seis meses para ser publicado, devido à corrupção.
Recado das ruas foi dado. É preciso mudar ou elas engolem o governo, como reconheceu seu líder na Câmara, deputado José Guimarães.

Diversas
Senador Lasier Martins quer esclarecimentos sobre estados que não conseguem pagar o piso salarial aos professores, como o RS. Solicitou informações ao MEC.
*****Governador Sartori esteve em Brasília para conseguir dinheiro, como os R$ 118 milhões do Fundo e Apoio as Exportações, devidos ao RS desde janeiro.Ao tentar conversar com o ministro da Fazenda Joaquim Levy não foi recebido. Atraso e parcelamento, momentaneamente, saíram da pauta.
*****Petrobras planeja vender parte de seu patrimônio para reduzir sua divida e preservar o caixa.
*****Secretario de Comunicação, jornalista Cleber Benvegnú informando a coluna do relançamento de edital de produção audiovisual gaúcha. Presentes a cerimonia, presidente da TVE, Isara Marques e o secretario de Cultura, Victor Hugo. Concorrência retomada foi cancelada em janeiro por motivos técnicos.