Ferrovia

0
110

Para as pessoas e entidades que, como eu, defendem a volta do trem às cidades missioneiras, não poderia ter sido melhor recente reunião da Associação dos Municípios das Missões (AMM). 
Nesse encontro de prefeitos missioneiros, foi tratada a inclusão da região no traçado da ferrovia norte-sul no PAC, onde podem ser buscados os recursos necessários.
Já podem ser antevistos os benefícios se esse traçado for revitalizado, proporcionando a utilização da ferrovia para transporte de cargas, passageiros, além de incentivar o turismo.

Ferrovia II

Melhoria das condições do transporte ferroviário proporcionaria o retorno de um setor estranhamente abandonado.
Os traçados já existem, ligando as cidades das Missões, a partir de Santa Rosa, passando por Giruá, Santo Ângelo, Ijuí, Cruz Alta até Santa Maria. No caso bastaria reconstruí-los, dentro das modernas técnicas da engenharia ferroviária e colocados a funcionar.
Não será para já, mas o primeiro passo está sendo dado pela AMM.
Boa luta aos prefeitos, vereadores, deputados, senadores, entidades, comunicadores e a população!

Bombeiros

Concordo com a FAMURS na questão envolvendo o projeto de lei complementar do deputado Adão Vilaverde de revisão da legislação de prevenção e combate a incêndio.
Presidente Valdir Andres prevê novos encargos aos municípios, caso aprovado pela Assembleia Legislativa.

Bombeiros II

Como está, ao invés de solucionar, cria problemas aos municípios. Daí a necessidade de ser aprimorado.
Bombeiros, certamente, enfrentarão mais dificuldades operacionais se tocar aos municípios – assoberbados de compromissos – boa parte do que consta no projeto.
No atual quadro de penúria, muitas das regras propostas por Vilaverde são inaplicáveis, econômica e tecnicamente.

Médicos

Programa Mais Médicos debaixo de muita falação, contra e a favor.
Alguns erros de avaliação cometidos por facultativos estrangeiros têm sido constatados, caso de Tramandaí.
Contrariamente ao que verbalizou a secretária de Direitos Humanos, Maria do Rosário, não há preconceito em relação aos médicos, mas sim precaução.
É preciso ficar precavido quanto à capacidade dos médicos, que desembarcam em vários pontos do Brasil.
Preconceito é prática abjeta; precaução uma necessidade!
Outra da secretária: dizem, deseja a extinção das polícias militares!

Kiss

Nove meses depois da tragédia da Kiss em Santa Maria, além das dificuldades dos familiares das 242 vítimas para punir aos culpados, sobreviventes também enfrentam problemas.
Dias atrás conversei com alguém que escapou daquele cenário de terror e sofre hoje de problemas físicos e neurológicos. São muitos os que padecem de sequelas.
Promessas, como a do ministro Alexandre Padilha (no auge da tragédia anunciou aos envolvidos no incêndio que seriam acompanhados por 5 anos), começam a se perder no esquecimento.

Pré-sal

Trilhões do pré-sal têm arrancado análises apaixonadas umas, com viés de fanatismo outras. Suscita, também, a nunca escondida ira dos contrários ao atual projeto de governo brasileiro.
A imprensa internacional, como a revista britânica ‘The Economist’, considera um fracasso. ‘O governo que esperava mais de 40 participantes no leilão, recebeu apenas 11 inscritos’, noticia a publicação.

Pré-sal II

Li frases ufanistas tais como a que ‘visão de Dilma e sua coragem estão sustentando o atual projeto governamental vitorioso, caso do pré-sal’.
Adversários políticos da presidenta questionam: ‘o leilão efetivamente existiu?’
Os furibundos acusam de ter ocorrido uma farsa.
Muitos criticam aos petistas por fazer aquilo que condenam historicamente: privatizar!

Pré-sal III

O ideal seria passar por cima dessas questões.
Leilão, digam o que digam, não será anulado.
Devemos torcer a que seus recursos possam colaborar na melhoria da qualidade da educação e saúde dos brasileiros.
Que as finalidades, cansativamente anunciadas por Dilma Rousseff e integrantes do seu governo, sejam cumpridas.

Pré-sal IV

Daqui em diante, é fiscalizar a que todos esses recursos (que engordarão as receitas do governo), cheguem verdadeiramente nos seus destinos, sem desvio de um centavo, nos próximos 35 anos.
O resto parece ser semântico e retórico, apesar dos equívocos na modelagem, da baixa adesão e ter sido vendido por lance mínimo!

Buda

Foi há dois mil e quinhentos anos.
O príncipe Sidharta ao se dar conta de que, fora do castelo do rei seu pai, havia pobreza, miséria, doença, sofrimento e morte, deixou o reino, sua mulher, o filho, para se apropriar dos desígnios da natureza humana, das suas mazelas e se poderia haver algo bom.
Conheceu a impermanência dos seres humanos.
Nasce-se, vive-se, morre-se.

Buda II

Com seus novos companheiros, viveu em extrema pobreza. Alimentavam-se de insetos e matavam a sede com água da chuva.
Certa vez ouviu um diálogo sobre o manejo de uma citara. A corda esticada acabava por se partir, ao contrário soava mal.
Imaginou: o ideal seria que a corda não esticasse demais, nem afrouxasse, mas se buscasse o equilíbrio.

Buda III

Eis a medida exata, compreendeu Sidharta. Dali em diante viveu buscando equilíbrio, o meio, mergulhando em profunda meditação, em busca da luz, harmonia e sabedoria, até a iluminação do espírito e tornar-se o Buda.
Sidharta-Buda. O iluminado. Muitos sustentam ser uma das reencarnações de Jesus Cristo.
Ambos pregaram tolerância, perdão, harmonia, amor.

Buda IV

São preceitos quase em desuso.
Por intolerância, deixamos a corda esticar, até se partir, contrariando os ensinamentos, criando problemas e confrontos incontornáveis.
A cada ano nossa paciência diminui.
Perdoar é quase inconjugável.
O amor fenece!

Diversas

Aprovada em reunião do legislativo santo-angelense, moção do vereador Paulo Azeredo, apoiando projeto tramitando no Senado. Por ele, são repassados recursos de 10% do orçamento as ações de saúde.
Moção foi enviada ao Ministério da Saúde.
******Alguns maus taxistas da Capital cobrando corridas entre 80 e 300 reais de turistas. Péssimo a imagem da cidade e alerta ao que pode acontecer na Copa.
******Ex-prefeito José Lima retornando à política. É novo presidente do PMDB.