Francisco

0
125

Nasci ao lado dos argentinos. 

Quando guri tive amigos castelhanos. Confraternizávamos com famílias argentinas. Tínhamos parentes residindo no lado de lá do rio Uruguai. Principais rusgas eram no futebol e por nos olharem com ar de superioridade. Enfim, éramos inimigos fraternais. Mais inimigos que fraternos…

Foi aparecer um argentino, simpático, amoroso, humilde, para me arrepender dos maus pensamentos e impropérios de infância contra os hermanos.

Francisco, modesto e sábio – não a sapiência acadêmica, afrontosa, mas da simplicidade geradora da inteligência que não se impõe –, uniu a nacionalidade, na semana passada.

 

Francisco II

Deixou exemplos de como se ama ao próximo, verdadeiramente; de querer bem seu circunstante, sem usar dogmas que mais assustam e separam do que cativam e aproximam.
Singular levou multidões a ouvi-lo e com ele criar uma sinergia transcendental, de paz, luz, fraternidade, amor. Não aquele amor hipócrita, mas espontâneo, devotado aos pais, irmãos e a fraternos amigos.

Concedeu esse amor, profusamente. Encantou aos que professam outras religiões e lhes ofereceu um amplo e aconchegante abraço.

 

Francisco III

“Aprendi, para ter acesso ao povo brasileiro, ser preciso ingressar pelo portal do seu imenso coração. Por isso, permitam que eu possa bater delicadamente a essa porta. Peço licença para entrar e transcorrer esta semana com vocês”, disse ao chegar. “Não se trata simplesmente de abrir a porta para acolher, mas de sair pela porta para procurar e encontrar”, lembrou noutra ocasião. Pregou o diálogo: “O País cresce quando suas diversidades dialogam; todos perdem quando não há dialogo”.

Um homem, exortando a que a Igreja vá às ruas, que pregou a doçura e dela não nos envergonhemos, passou por aqui.

 

Legalidade

Agosto de 1961. A sexta-feira encontrou a Rodney Sales Nogueira, Luiz Carlos Mazzucco dos Santos e eu – companheiros de trabalho no escritório da Rua Marechal Floriano, 1212, em Santo Ângelo –, antegozando o final de semana.

Sexta era de incursões ao bar e cinema Cisne, uma esticada ao restaurante do Titio (saborear seus filés) e mais tarde às reuniões dançantes na salinha do Clube 28 ou boate no antigo do Clube Gaúcho.

Mas naquela sexta, 25, foi diferente.

Tudo começou com um recado ao governador Leonel de Moura Brizola, passado pelo secretário de imprensa, Hamilton Chaves, informando que o presidente renunciara. Jânio Quadros fizera mais de oito milhões de votos, significativo naquele tempo. Era uma surpresa. JQ tivera o apoio da igreja, mantido depois de eleito, do exército e da classe média.

Ainda mais surpreendente a posição de setores do exército, colocando-se contra a posse do vice-presidente João Goulart, em missão oficial na China.

 

Legalidade II

Depois da Secretaria de Segurança requisitar a Rádio Guaíba tornando-a emissora oficial do ‘Movimento da Legalidade’, chegaram até nosso escritório equipamentos de som e material para uso no cadastramento de voluntários à luta deflagrada pelo governador. Rodney, Luiz e eu, animados por Dirceu Nogueira, (amigo de Jango e Brizola e pai de Rodney), entrávamos nos acontecimentos da ‘Legalidade’.

Nos dias seguintes dos porões do Palácio Piratini brotava o som irradiado por cadeia de emissoras e alto-falantes – iguais ao nosso. Brizola discursava em meio à leitura de manifestos, de três em três minutos, pelo direito do presidente tomar posse.

Quase 52 anos passados continuam na minha memória aqueles angustiantes momentos, até João Goulart retornar e ser empossado.

 

Diversas

Médico e politico Mauro Sparta anunciando ingresso no DEM. Filiação foi em Canoas, na presença do deputado federal Ônix Lorenzoni. Insere-se na criação do DEM Saúde que acompanhará as politicas públicas do setor, criticadas pelo partido.

*****Vereador Paulo Azeredo comunicando encaminhamento de projeto tratando da instituição do ‘teste da linguinha’. Responde apelo da Sociedade Brasileira de Fonoaudiologia obrigando o exame em recém-nascidos para verificação e eventual tratamento da conhecida ‘língua presa’. Azeredo também encaminhou ao Executivo projeto-sugestão da concessão de transporte público a pessoas com deficiência visual.

*****Secretaria de Saúde de Santo Ângelo pretende diminuir filas de atendimento, baseada no modelo aplicado com sucesso em Canoas. Nesse sentido promoverá Seminário cujas propostas serão encaminhadas ao Comitê de Gestão, Planejamento e Estratégia em Saúde Municipal.

*****Alguns números do IDH. Santo Ângelo, 0,772; Ijuí, 0,781; Santa Rosa, 0,769; Cruz Alta, 0,750; Entre-Ijuís, 0,680; São Miguel, 0,667.

***** PIB, antes previsto em 4% neste ano, será de 2%; inflação subirá de 5,5% para 5,8%; a indústria, cuja estimativa de crescimento era de 3,5%, ficará em 1,5%. Motivos: desconfiança na política econômica e a inflação.

*****“Lula não vai voltar porque nunca saiu”. Mais que metafórica, a manchete de jornal sintetizando posição de Dilma, torna Lula da Silva coautor do bom e ruim acontecido no Brasil, desde a posse.

 

Ser missioneiro

Advogado Júlio Ubiratan dos Reis, santo-angelense, ex-vereador, residindo e trabalhando em Itaqui, participa da série.

“Os nossos quatro troncos
Estão no mais alto grau
O Jaime Caetano Braum
O maior dos payadores
Que do jardim são as flores
Noel Guarani e Ortaça
Iguais só que Deus faça
Por acaso não há de vir
Será eterno o Cenair
Orgulhos da nossa raça.

O Canto Missioneiro
Na frente da Catedral
Da minha terra natal
Na Angelopolitana
Que a cidade engalana
Intercalando canções
Com a beleza das construções
Os sete santos no pódio
Santo Ângelo Custódio
É a Capital das Missões.

As vozes do Som e Luz
Confronto, luta, tropel
Nas Ruínas de São Miguel
Um bem da humanidade
Eternizando a verdade
Em qualquer lugar que se ande
Tem uma voz que se expande
Além das nossas fronteiras
São as vozes Missioneiras
Engrandecendo o Rio Grande.”