Humanos

0
93

João Ubaldo Ribeiro verbalizou: “o ser humano é a única forma de vida cujos indivíduos estão prontos a matar seus semelhantes”.
Verdadeiramente, ele é capaz de atos grandiosos ou infames.
A evolução tecnológica, que o insere num espetacular mundo de aprimoramento de antigos e a aquisição de novos conhecimentos, tem sido incapaz de desviá-lo das cotidianas barbaridades praticadas.

Humanos II
Somente não volta à barbárie, por topar com almas elevadas, levando-o à reflexão e a retomar o bom caminho.
É necessário lutar para que não seja apenas individualidade, não veja no semelhante potencial rival, senão copartícipe desta imensa aldeia.
Deve ser capaz do melhor, lutar para que o pior não o aflija e derrube.
Sua natureza deve refletir o que de melhor existe, não obstante os pesares!

Bombeiros
Finalmente bombeiros do RS conseguiram sua autonomia.
Oficialmente serão desmembrados da BM em 2 de julho de 2016, ‘Dia dos Bombeiros’. Aí, cessarão as transferências de bombeiros ao policiamento.
Até lá poderão chegar ao contingente de 4.450 homens, contrariamente aos atuais 2.600.
Conheci bem de perto a sua nobre e lutada vida.
No ano de 1984, era editor do JM e com o diretor Adroaldo Loureiro encetamos campanha para salvar a fração na época comanda pelo hoje coronel da reserva Nilson Bueno.
Jornal promoveu uma campanha e ao final conseguiu recuperá-lo, inclusive renovando o convênio entre Prefeitura e governo estadual.

Bombeiros II
Notórias dificuldades a que os bombeiros conseguissem efetivos, viaturas e demais equipamentos de combate a incêndio, imagino desaparecerão com o desmembramento.
Campanhas comunitárias, como ‘SOS Bombeiros Comunidade Alerta’, se existirem, serão para colaborar com os novos bombeiros, não como 30 anos atrás.
Comunidade deve agradecer a homens como Pedro Ceretta, José Pedrazza (primeiro presidente da ‘Comissão Antifogo’) Ercio Engleitner, Valdir Melchior, Mario Bohrer ente muitos outros e os já lembrados Adroaldo e Nilson, além do apoio do então prefeito Mauro Azeredo, recuperação e o crescimento dos bombeiros hoje com abrangência regional.

Rigotti
Navegando na web, encontrei Renato Rigotti, velho e bom músico santo-angelense, atacando de Raul Seixas e Zé Ramalho, ao violão. Ele se apresentava em uma TV de SC.
Rigotti agora é Renato ‘Rock’, cativando aos que o assistem.
Depois de se recuperar das drogas lícitas e ilícitas está livre do vício, se apresentando nas ruas, como lembrou na entrevista.
Renato ‘Rock’ estava em Camboriú, depois de passar por várias cidades viajando de carona e a pé, mostrando seu repertório musical e fazendo palestras de autoajuda narrando suas experiências com álcool e drogas.

Viagem
Pantomima em que se transformou a viagem do prefeito Valdir Andres a Europa é daqueles casos difíceis de entender, por envolver alguém com larga experiência político-administrativa e de comunicador.
Depois da denúncia por um portal de notícias, que viajara sem passar o cargo, o assunto dominou a cidade, sobrando ilações tiradas livremente do episódio.
Soube-se depois, viajou com a esposa, vereadora Zilá e seu Superintendente Técnico na Famurs, Mario Ribas do Nascimento, acompanhando prefeitos para verificar modalidades de energias alternativas existentes.
Motivo justificaria a viagem do chefe do Executivo, ainda presidente da Federação.
Talvez injustificável não efetuar a passagem, respeitando a liturgia do cargo.
Transmissão via satélite a Formenton impediu maiores dores-de-cabeça!
Poderia ter chegado ao final do mandato (e até tentar reeleger-se) sem essa.

Legislação
O prende-e-solta é o maior problema nesta nem sempre bem conduzida segurança pública brasileira. Mesmo assim, o Brasil está entre os três primeiros países em número de presidiários, atualmente em torno de 700.000.
Sempre reivindicada melhoria de efetivos nas polícias militar e civil é apenas parte do problema, conforme conclusão dos gestores da área de vários estados.
Mudança na legislação, penas de maior abrangência e duração poderiam modificar para melhor as estatísticas.
Paralelamente, melhorar condições dos presídios.
Desalentador é que tudo isso demanda tempo, dinheiro e boa vontade dos agentes envolvidos.

Urna
Presidente Dilma foi vaiada na abertura da Copa. Uma ao festejar o gol de empate resultado de um pênalti mal marcado pelo árbitro japonês. Antes havia sido xingada ao entrar no estádio.
No dia seguinte em pronunciamento na televisão, disse que não se deixará ‘intimidar’.
Contrariando a militância petista, vaia não se circunscreve a setores considerados da elite. Quarenta mil pessoas ofenderam a presidente num show do Rappa, em Ribeirão Preto.

Urna II
Já dizia o escritor e filósofo alemão, Georg Lichtemberg: “Quando os que comandam perdem a vergonha, os que obedecem perdem o respeito”.
Entretanto, a Copa está em desenvolvimento e passou o tempo de gritar contra a sua realização.
Por ora é torcer para que a seleção faça o melhor e, democraticamente, deixar eventual acerto de contas para 5 de outubro, na urna!
Seleção, FIFA e governo não são as mesmas entidades.

Urna III
Lamentável a cara e morna abertura da Copa.
Entregue a uma coreógrafa belga, obliterou a visão sobre o Brasil e o próprio espetáculo, embora haja quem diga tratar-se de padrão FIFA.
Pelo sim, pelo não, custou mais de 18 milhões de reais, pagos pelo contribuinte.
O que poderia ter sido útil e gratuito, como o pontapé do paraplégico Juliano Pinto, utilizando exoesqueleto, foi um vapt-vupt na TV.

Hino
Escolas municipais executarão semanalmente Hino oficial de Santo Ângelo.
Autoria do vereador Paulo Azeredo, lei objetiva estimular a noção de patriotismo entre as crianças. Não há previsão do período em que deve ser entoado, ficando a critério das direções.
Azeredo acredita que “a medida vai colaborar na construção de um cidadão mais engajado com sua história e questões sociais”.

Reflexão de fim de semana
“Esta deve ser a sua mais profunda meditação: ouvir o coração. Sinta-se mais, pense menos. Em caso de conflito fique no coração. Ouça o sentimento”. (Osho)