Pedro Belmonte

0
123

Governo do Estado e ministério do Desenvolvimento depois das farpas trocam abraços. Ministro Fernando Pimentel visitou o governador Tarso Genro, colocando panos quentes nos desentendimentos. Na mesa o desengessamento do orçamento facilitando injeção de recursos em projetos de interesse dos gaúchos****Último apagão em 11 estados do norte-nordeste teria sido motivado por falha humana, conforme relatório. Por consequência, são prometidas revisões de redes em todo Brasil****Direção do PT diz que não punirá envolvidos no mensalão****Há quem viva do interior do Brasil e RS, como no século 19: sem saneamento básico, água, energia elétrica e acessos asfaltados. Dados são do IBGE. Desafio aos futuros prefeitos****Mensaleiro José Genoíno, suplente de deputado, assumirá?

Corrupção – Emblemática a recente operação policial para apurar compra de votos em Jaquirana.

Denominada ‘Democracia Plena’, deteve por alguns dias, políticos e coordenadores de campanha, ligados ao prefeito eleito, suspeitos de comprar votos.

Segundo as 15 mil escutas, dinheiro era desviado do Tesouro Municipal.

Ou, conforme terminologia debochada, verbalizada por um envolvido: ‘Dinheiro da Prefa…’

Deplorável – Paradoxais, senão deploráveis, atitudes de alguns moradores revoltados com a imprensa, mas apoiando aos corruptos e corruptores!

Presidente do PP estadual, Celso Bernardi, partido dos suspeitos, condenou mal uso do dinheiro público.

Prática antiga, corrupção eleitoral, infelizmente, não se circunscreve àquele município.

Operações deveriam ser ampliadas.

Coronel – Na Feira do Livro, cruzei com o patrono Luiz De Martino Coronel.

Conheci o poeta e publicitário no início dos anos 1970, em Porto Alegre.

Coronel (ainda não famoso) era redator na Provisiom Propaganda, do Jair Martins, onde eu era freelance, nas folgas de ZH.

Plauto – Lembra o Plauto Cruz? O velho músico enfrenta dificuldades.

Estive no ‘Bar do Marinho’, Cidade Baixa, assistindo ao show em benefício do ‘Plautinho’, promovido por seus companheiros músicos.

Exímio artista, pobre, ganhou a solidariedade do público que alegra com sua flauta.

CNH – Preço das carteiras de habilitação preocupa a quem necessita do documento. Desde o governo Yeda, no rastro do escândalo do Detran se fala em redução, que não acontece.

Em 2013, novos reajustes serão discutidos.

Atualmente, custo mínimo às categorias A ou B é de R$ 1.069,00 e AB, R$ 1.739,00.

Detran e Sindicato consideram justo!

TCU – Paralisação de obras rodoviárias com custos superdimensionados, sugeridas pelo TCU, ignorada pela Comissão Mista do Orçamento do Congresso.

Atual vice-presidente do Tribunal, santo-angelense Augusto Nardes, assinalou ser preciso cuidado na aplicação do dinheiro público.

Presidente da Comissão, deputado Paulo Pimenta informou que as obras não irão parar.

Inigualável – Indubitavelmente, o rádio é o maior companheiro de todas as horas. Inseparável. Acompanha o ouvinte aonde ele for.

Muito antes da TV, dos celulares, smart-phones, da internet, prestava sua colaboração indiscutível.

Manejado por mentes privilegiadas, é capaz de criar imagens, situações, até mesmo guerras virtuais. Orson Wells, nos anos 1930 ficcionou ‘Guerra dos Mundos’.

Quando o Rei George VI, conclamou os britânicos às agruras da guerra contra os nazistas, ao som da 7ª Sinfonia de Beethoven (revivido no filme ‘O Discurso do Rei’), o fez pelo rádio.

Imprescindível – É um veículo de interação, democrático, não importando cor, sexo, status político-social.

No fim de outubro, foi imprescindível antes, durante e após a catástrofe da Super Tempestade Sandy, que varreu a Costa Leste dos Estados Unidos e áreas do Caribe e Canadá.

Sem energia elétrica, interrompida pelas forças da natureza, restou o rádio.

Cumpriu, como sempre, o seu dever!

Gostos – Leitores da coluna reclamando da minha preferência excessiva pela música internacional, em detrimento da nacional.

Equívoco. Gosto da boa música, não importando a língua, o ritmo; erudita ou popular.

Algumas das minhas prediletas da MPB: Ivan Lins – ‘A Felicidade’; Sergio Reis – ‘Coração de Papel’; Caetano Veloso – ‘Tigresa’; Roberto Carlos – ‘As flores do jardim da nossa casa’; Erasmo Carlos – ‘Sentado à beira do caminho’; Marília Pera – ‘120, 150, 300 km por hora’; Tom Jobim – ‘Amor em Paz; Vinicius de Moraes – ‘Samba da Bênção’; Jair Rodrigues – ‘Disparada’; Skank – ‘Tanto’; Roupa Nova & Elba Ramalho – ‘Fé cega, faca amolada’; Hyldon – ‘Na rua, na chuva, na fazenda’; Nara Leão – ‘Esse seu olhar’; Tim Maia – ‘Gostava tanto de você’; Titãs – ‘É preciso saber viver’; Marisa Monte – ‘Dança da solidão’; Toquinho & Vinicius – ‘Cotidiano número 2’; 14 Bis – ‘Canção da América’; Zélia Duncan – ‘Catedral’; Legião Urbana – ‘Hoje à noite não tem luar’; Chico Buarque – ‘Lígia’; Lulu Santos – ‘Como uma onda’.

Novo mundo – Outra leitora reporta-se ao que escrevi colunas atrás, sobre a necessária renovação da fé, diante das incertezas atuais.

Sugere que nesse momento de turbação, cegueira, perigos carnais, materiais e espirituais, devemos pensar positivo, manter a fé.

Recorda que tudo está no evangelho, no apocalipse.

Diz não saber com clareza se o fim será físico ou apenas transição a um mundo e tempo melhores.

Novo tempo – Concordo. Penso ser possível que nesse novo tempo o poder do Criador estará definitivamente presente. Habilidades serão desenvolvidas e as existentes ampliadas.

Coisas grandiosas serão executadas, sem fadiga. Aspirações e ambições serão possíveis. Conflitos cessarão. Não existirão pecado e pecadores. O universo estará purificado e reservado àqueles que ultrapassarem os atuais momentos de tribulação.

“Não haverá mais morte, nem tristeza, nem choro, nem dor…” – parafraseou, finalizando, a leitora.

Reflexão de fim de semana – “ Os livros são os meus pássaros. Com eles aprendi a voar…” (Jean Paul Sartre).