Pedro Belmonte

0
126

Mãe

Este domingo assinala mais um Dia das Mães.

Há seis anos não comemoramos com dona Maria da Conceição esse dia.

Ela virou a última página da sua linda vida terrena, aos 83 anos, no meio de uma noite de março de 2007.

Os dias das mães eram de almoços caprichados, de doces, presentes, beijos e abraços na pequena-grande Maria, sempre mais aconchegantes nos tempos de São Borja. Éramos crianças, felizes e sabíamos!

Restaram acalentadas reminiscências, muitos ensinamentos.

Sua bênção, mãe!

Um abraço a todas as mães.

 

De Diógenes, individualidades e coletivo

Postagens, dias atrás, no Facebook, me levaram a uma sentença do grego Diógenes: “Os piores escravos são aqueles que estão servindo, constantemente, as suas paixões”.

Verbalizou o pensador helênico que estamos acorrentados a paixões subalternas, superlativando nosso ego, tornando-nos presas do individualismo.

Boa parte dessas postagens partidas de santo-angelenses condenava a quem supervalorizava interesses próprios, em detrimento da coletividade.

Ninguém deseja o descuido do bem estar individual e da família.

Porém os tempos atuais têm mostrado situações de exacerbado individualismo, provocando, em contrapartida, subalternos sentimentos de inveja.

Santo Ângelo, noutras épocas, primou pelo comunitarismo e ascendeu, por isso, a expressivas conquistas na política, na economia, na educação, no social.

Pela rede social, senti laivos de desagregação, por quimeras.

Ao longo dos anos os grandes eventos promovidos em Santo Ângelo e as maiores conquistas, somente tornaram-se exitosos pela conjunção de esforços da população.

Lamentável essa avassaladora torrente do ‘meu’ no lugar do ‘nosso’.

Confia-se que tais sentimentos não impossibilitem a que Santo Ângelo recupere, plenamente, sua força político-econômica!

 

Jango

Morte do ex-presidente, João Belchior Marques Goulart foi natural ou por envenenamento?

Jango faleceu (novo ainda), aos 58 anos, em Mercedes, interior da Argentina, no dia 6 de dezembro de 1976. No atestado de óbito consta morte por ataque cardíaco.

Nos últimos dias voltou a ser tratado na Comissão da Verdade, envolvendo autoridades, políticos, e familiares.

Há alguns anos possiblidade do envenenamento foi levantada pelo ex-agente uruguaio, Mario Barreiro, que teria participado do atentado.

Espera-se exumação do corpo, sepultado no mausoléu da família, em São Borja, em agosto.

 

Telefonia

Desdobra-se na AL a CPI da telefonia, buscando soluções a um serviço com repetitivos problemas.

Notícia alentadora é que será acompanhada por MP e OAB.

Com número gigantesco de aparelhos portáveis, rendendo obscenos lucros às operadoras, contrapartida em serviços fica aquém.

São ligações não conseguidas ou completadas, cal-centers fraudando expectativas, desrespeitando aos que pagam uma das mais caras tarifas mundiais.

Afora problemas aos celulares, há reflexos na internet e banda-larga.

Espera-se não acabe numa ‘tele pizza’, para desencanto do usuário…

 

Dilma

Poucas novidades no discurso de 1º de maio da presidenta Dilma.

Destaques para o destino dos recursos do pré-sal à educação e um demorado tempo dedicado ao crescimento da inflação.

Demonstrou que os ataques da oposição ao crescimento da inflação, a preocupam.

Ficou faltando mais de uma chefa de Executivo que pretende reeleição.

Dilma poderia cobrar cumprimento da desoneração de impostos a produtos essenciais nos mercados e supermercados brasileiros.

Poucos baixaram de preço!

 

Mordomia

Os 18 mil reais pagos, mensalmente, a um mordomo do presidente do Congresso, Renan Calheiros – dinheiro saído dos impostos do contribuinte – mostra, literalmente, algo mais do que já se sabe da ostentosa vida que certos políticos brasileiros teimam em desfrutar.

Felizes os britânicos que assistem o seu poderoso primeiro-ministro, David Cameron, utilizar o metrô para se dirigir ao trabalho.

Civilizado, não se incomoda e nem exige lugar para sentar.

Foto dele, em pé, lendo um jornal, descontraidamente, circulou pela imprensa e redes sociais.

 

Crime

A venda de 100 milhões de litros de leite, cerca de 10% adulterado, com acréscimo de substâncias cancerígenas, é uma das coisas mais nojentas de que já tive notícia.

Objetivando apenas o lucro sem preocupação com a saúde do indefeso consumidor, praticou-se um crime assustador; beirando o genocídio.

Ouvi autoridades explicarem (sem conseguir) a falha de fiscalização havida no início da cadeia. Com o produto chegando à indústria já ‘batizado’, aparentemente, pouco há a fazer, se bem que não a isente pela falta de cuidados.

A culpa é generalizada. Quem diz é o Código de Defesa do Consumidor.

Espera-se esse setor, que envolve a saúde nossa, de nossa família, nossos filhos e netos, seja mais bem fiscalizado.

Que os criminosos recebam as penas relativas.

Sem dó e piedade, sonegados à população!

 

Ser missioneiro

Remete seu depoimento o coronel reformado da Brigada Militar, ex-comandante de diversas unidades da BM, inclusive comandante geral, Nilson Nobre Bueno.

“Ser missioneiro não é apenas ter nascido, ou estar vivendo neste glorioso torrão missioneiro, dádiva essa de Deus.

No transcorrer de nossa vida terrena temos que ter a grandeza de desenvolver ações em agradecimento a nossa passagem.

Nesta andança passamos pela infância, adolescência, a fase adulta e cada um enfrenta seus problemas, derrotas e vitórias, sempre buscando o crescimento pessoal.

Todos nós temos um início nesta vida e não poderia deixar de ressaltar meus queridos pais o sargento Joaquim e a batalhadora Elegantina, que foram meus orientadores dos primeiros passos de vida.

Tivemos duas passagens profissionais nesta terra missioneira, Santo Ângelo, quando em 1984 assumimos o Corpo de Bombeiros – 2ª SCI, entre tantas metas implementadas e alcançadas também conseguimos a Lei de Prevenção Contra Incêndio, umas das primeiras do Estado.

Aqui não existia Lei de Prevenção Estadual, dando um exemplo para os demais Municípios.

No Policiamento Ostensivo deixamos Santo Ângelo ligado diretamente com Porto Alegre, através do Comando Regional – CRPO-Missões.

Ao finalizar, Belmonte, coloco que ser missioneiro não é apenas ostentar onde nascemos ou vivemos.

Temos que ter o compromisso de fazer acontecer alguma coisa de valor comunitário”.