Pedro Belmonte

0
128

Nova classe média brasileira tem um ganho médio mensal, entre 200 e mil reais. Mais do que ser festejada deve ser mantida. São necessárias políticas públicas consentâneas e a manutenção do emprego, com saúde e educação acessíveis***Déficit educacional brasileiro, enorme. Analfabetismo é grande, especialmente no Nordeste*** Rede de intrigas assola a Corag. Envolvidos, diretores e ex-diretores, pertencem a diversas correntes do PT***Lula da Silva modificou discurso. Agora com as condenações dos mensaleiros, em vez de desqualificar, prefere dizer que seu governo puniu e condenou desvios de dinheiro público.

 

Referência regional – Não são incomuns queixas contra os serviços de saúde especialmente nas cidades do interior. Quando há avanços, ganha a comunidade.

É notória a batalha para manter em pleno funcionamento o HSA.

Por suas forças e a participação do poder publico, o hospital vai além se destacando na atividade, caso da prestação de serviços de cirurgia geral, considerada referência nas missões.

Essa área do Hospital Santo Ângelo é tocada por cinco cirurgiões especialistas, que se distribuem no atendimento das cirurgias eletivas, de urgência e plantão 24 horas, sob a coordenação do médico João Ghellar.

 

Quem paga? – Perícias do INSS na Capital mereceriam intervenção.

Trabalhadores encaminhados ao Instituto para perícia médica e concessão de seguro desemprego recebem a informação de que somente conseguirão em 90 dias.

Como têm direito a receber os primeiros 15 dias do empregador e depois ‘baixam’ pelo INSS, a pergunta é: como viverão antes da realização da perícia?

Daí a necessidade de que o Ministério Público Federal seja acionado.

 

Sobrevivência – Últimas semanas fortaleceram a crença de que o gaúcho é um sobrevivente.

Nesse período enfrentou calor, chuvas, vendavais, granizo, frio, nevadas – nas regiões mais altas – e, novamente, calor e chuva…

Bom para o turismo (no caso da neve), do frio, mas ruim aos menos afortunados, velhos, às crianças e, em alguns casos, à agricultura.

 

Estrelas – Hotéis voltam a ser classificados por estrelas. Ninguém poderá se autoproclamar merecedor de 2, 3, 4 ou 5 estrelas, impunemente.

É a moralização do sistema. Vamos saber se nos hospedamos no hotel e nas pousadas correspondentes às suas estrelas.

Brevemente, as estrelas estarão de retorno.

Após a implantação haverá rigor na fiscalização, com multas pesadas aos infratores e a desclassificação.

 

Eleições – Alguns analistas chegaram à conclusão que não haverá segundo turno em Porto Alegre.

Pesquisas mostram Fortunati ultrapassando a barreira dos 51%. Manuela seria a segunda colocada, Villaverde o terceiro.

Em São Paulo Russomano ponteia, seguido de Haddad e Serra que se revezam no segundo lugar.

 

Degringolou – Capa de Placar traz Neymar como Jesus, crucificado, revoltando aos cristãos. Jovem chamada Catarina leiloa seu hímen pela internet. Lances ultrapassaram os 150 mil dólares, incitando aos moralistas. Seria o fim dos tempos?

 

Collor – Há 20 anos, vivíamos os agitados meses que antecederiam ao impeachment do ex-presidente Fernando Collor, motivado por denúncias contra integrantes da sua equipe e a renúncia.

Os jornalistas Luciano Suassuna e Luis Costa Pinto, autores do livro ‘Os fantasmas da Casa da Dinda’, editora Contexto, lançado em 1992, estiveram no olho do furacão.

Contam que o início do fim aconteceu depois da malograda convocação de Collor a que os brasileiros fossem às ruas “trajando verde e amarelo”.

Todo o Brasil testemunhou a resposta popular.

No dia seguinte, 10 mil estudantes foram às ruas do Rio, em uma passeata, ao som de “um dois três, quatro, cinco, mil, queremos Collor fora do Brasil”.

Movimentos similares ocorreram em outras capitais.

 

Renúncia – Em São Paulo, 50 mil pessoas se reuniram no centro, portando faixas e vestindo roupas pretas.

No encerramento da CPI criada para investigar o governo, instalada em 30 de maio, foi decretado seu impeachment no dia 29 de dezembro de 1992, levando-o a renunciar.

Em 2002 voltou à política. Após alguns revezes se elegeu senador.
O irmão mais novo, Pedro, autor das denúncias, morreu em 1994. No mesmo ano PC Farias conivente nos atos ilegais, foi preso em regime aberto. Em 1996, foi encontrado morto ao lado da namorada, Suzana Marcolino.

Por algumas coincidências há quem teime em fazer analogia com o mensalão…

 

De Patriarca, conceitos e eleições – O julgamento do mensalão, digam o que disserem, é uma demonstração de que ninguém está acima da lei.

 

Ao mesmo tempo, ele pode resultar – além da condenação dos envolvidos –, em um cabal e exemplar grito de indignação contra os maus políticos, que usam o dinheiro público para atender seus desejos intestinos.

Como a grande maioria dos brasileiros tenho me arvorado contra os maus exemplos na política nacional e gaúcha, em todos os âmbitos, das câmaras de vereadores, prefeituras, assembleias, ao Congresso nacional.

 

Bonifácio – Não é de agora que escrevo a respeito. Uma vez cheguei a lembrar de José Bonifácio e sua frase lapidar: “A sã política é filha da honra e da razão”.

Não obstante, cinérea parcela teima em não se espelhar no estadista, cientista, político e literato, José Bonifácio de Andrada e Silva.

O Patriarca foi alguém que conviveu com Lavoisier, deputado constituinte e tutor dos quatro filhos de Pedro I.

Seus conceitos deveriam ser praticados por operadores da política.

Sob essa inspiração, espera-se, os eleitores vivam a eleição de amanhã!

Reflexão de fim de semana: “Às vezes é preciso conhecer muito bem uma pessoa para se dar conta que vocês são dois estranhos” (Mary Tyler Moore)