Pedro Belmonte

0
137

Prefeito eleito Valdir Andres e o atual, Eduardo Loureiro trocaram telefonemas. É o início da caminhada para uma transição tranquila e respeitosa. Era o esperado dos dois homens públicos***Santo-angelense Augusto Nardes, como antecipado, será o presidente do TCU para o biênio 2013-14***Ministro Joaquim Barbosa: “No meu sentir está comprovado que José Dirceu controlava os destinos da empreitada criminosa. Especialmente mediante seus braços executores mais diretos, Marcos Valério e Delúbio Soares, com a colaboração do núcleo financeiro”***Especulações sobre nomes ao futuro secretariado é o tipo da coisa que mais pode queimar do que ajudar***Peemedebistas apoiadores do PDT se mostram preocupados com sanções e retaliações. Não acredito. Momento pede união ***Mario Ribas Nascimento cumprimentou pelas redes sociais ao prefeito eleito. Ronhas entre os dois é coisa do passado***Autoridades da Saúde anunciam antecipação do início da imunização contra a gripe A. É uma das medidas que defendo. Outra, que atinja todas as faixas etárias.

Avaliação – Para o prefeito Eduardo Debacco Loureiro a recém-encerrada eleição municipal, por extremamente equilibrada e polarizada entre dois candidatos, foi “decidida no detalhe”.

Ao mesmo tempo em que elogiou a votação do candidato do governo, considerando-a “expressiva”, avaliou como “excepcional” o desempenho do PDT na proporcional.

“Das 15 vagas a vereadores, elegemos 7”, comemorou, acrescentando que “a coligação fez 10”. Outro número que agradou ao prefeito foi a soma das duas legendas, PDT-PT: 30 mil votos.

Julgamento – Respondendo se seus dois governos haviam sido julgados, considerou que “a relação entre o desempenho de um governo e uma candidatura não ocorre automaticamente, nem na sua plenitude. É muito relativo”.

Lembrou que a sua administração sempre manteve nível excelente de aprovação e que, portanto, o resultado não reflete a avaliação do governo. Acrescentou que recente Pesquisa do Instituto Methodus a classificou com um índice de 80% de aprovação.

Futuro – Quanto ao futuro governo, o prefeito espera que “consiga resgatar os compromissos assumidos e tenha condições de manter o atual nível de investimentos públicos”.

Encerrando o contato com a coluna, Eduardo Loureiro disse que como cidadão irá continuar auxiliando Santo Ângelo. Referentemente aos seus projetos futuros na política, revelou que ele e o partido, somente irão tratá-los ao final do mandato.

Celso – Presidente estadual do PP, Celso Bernardi, se mostrou contrário às coligações proporcionais, ao analisar os resultados das eleições.

Estava satisfeito pela recuperação de prefeituras, citando Santo Ângelo.

Defendeu a posição de Ana Amélia e disse que seu apoio a Manuela está superado.

Reafirmou que a senadora é o nome do partido ao governo gaúcho.

Desempenho – Na lista de votação dos candidatos a vereador de Santo Ângelo, há campeões de voto, surpresas e decepções.

Seja qual tenha sido a votação todos são vencedores.

Afinal participaram de um momento único de uma comunidade organizada politicamente, não obstante o número de votos.

Não é consolo, mas realidade.

Tatu-Bola – Distúrbios praticados contra a exposição do boneco da Copa, na Capital e Brasília, levaram a uma decisão da empresa, uma das patrocinadoras do certame: não será mais exposto.

Pode ser que ‘Tatu Bola’ não seja o símbolo adequado. Quanto à ojeriza dos manifestantes à Coca-Cola é daquelas coisas que ‘a cabeça faz e o paladar desmente…’.
A maioria bebe o refrigerante!

Expectativa – Embora não eleitor da 45ª zona, mas por minhas ligações, lá residirem familiares e escrever para um dos jornais do município, me sinto a vontade para perguntar: o que esperar do novo governo a ser instalado em 2013?

Manutenção do que está bom, aperfeiçoando e atacando eventuais deficiências, procurando meios para gerar mais empregos, cuidar da infraestrutura, construindo o cenário adequado ao seu crescimento sócio-econômico-ambiental.

Planejamento consentâneo com as exigências da modernidade, ações dirigidas à pesquisa apoiadas por instituições acadêmicas, melhorias permanentes, não apenas aos quatro anos.

Expansão – Programas avançados, projetos industriais, agropecuários, associativismo e cooperativismo, convocando o empreendedor a investir no produtivo para a expansão econômica e social.

Espera-se do futuro ocupante do Paço Municipal, arrojo, visão ampla, voltada ao futuro, sem esquecer o cotidiano da cidade de manter a iluminação pública, a limpeza da cidade, praças iluminadas e seguras, calçadas em condições, estradas e ruas pavimentadas ou asfaltadas.

E ser, literalmente, governador de todos os santo-angelenses.

21 de dezembro – No princípio causou temor diante do inevitável.

Depois esmaeceu e hoje até mesmo os que acreditavam no fim do mundo em 21 de dezembro, não são incisivos.

Primeiro foi a notícia de que o ‘Calendário Maia’ estaria defasado. A data não seria esta, já teria ocorrido.

Agora cientistas ligados à causa entram na discussão e asseguram que jamais partiu da civilização a previsão.

Previu-se, dizem, período de mudanças, nunca apocalíptico.

Reconhecem a civilização Maia – que viveu seu apogeu, declinando no século nove – como poderosa. Seus reis, autointitulados deuses, acreditavam que ela jamais desapareceria.

Humildade – O desastre teria ocorrido muito mais pelo distanciamento de reis e súditos da humildade. “Somente sugavam dos menos afortunados e da terra, sem praticar a reciprocidade.” – asseguram historiadores.

Essa culpa atávica, a destruição do ambiente, teria sido cobrada aos maias, com a sua extinção, há 12 séculos.

Pelo sim, pelo não, há quem esteja com um pé atrás. A ida às igrejas aumentou, assim como rezas e orações ao Criador.

Quem sabe não seria o plano, até que nova era de paz surja?

De espiritualidade, do bem superando o mal.

Melhor, sem a presença do mal!

Reflexão de fim de semana – “Pela liberdade, assim como pela honra, pode-se e deve-se arriscar a vida” (Miguel Cervantes)