Reminiscências

0
141

Desde 1964, município participou com uma representante no concurso ‘Miss Rio Grande do Sul’. Recordo Isete Machado, Jussara Toscani, Iara Marques e Cleuza do Prado Araujo.
Numa das gestões de Eloy Pedrazza, o 28 enviou ao ‘Miss Rio Grande do Sul’, Côca Weinert. Popular, ela levou ao concurso realizado em São Leopoldo, no Clube Orpheu daquela cidade do ‘Vale dos Sinos’ vários santo-angelenses. Wilson Luiz Pippi, Raimundo Silva e Otávio Rigo – o ‘Amiguinho –, ao volante da sua ‘Draga’ (um reformado conversível de fabricação norte-americana), branca, de bancos confortáveis e revestidos de couro vermelho, legítimo estavam lá.

Reminiscências II
Representando aos organizadores viajei junto com a Miss e sua mãe.
Finalizado o concurso, retornamos na ‘Draga’ do Otávio, Wilson, Raimundo e eu, amigos até hoje. Depois de São Leopoldo, participamos de outros eventos, como em São Borja, quando entrevistei a ‘Miss Rio Grande do Sul’, Maria Terezinha Weiss.
Parte da movimentação, sempre nos finais de semana, foi a bordo da ‘Draga’, que nada tinha a ver com o equipamento de dragagem, mas ao seu tamanho, capaz de chamar a atenção por onde passávamos.

1º de maio
O primeiro de maio deste ano foi diferente. A presidente preferiu falar pouco. Não houve comício eletrônico por rádio e TV. Optou pelas redes sociais.
Afinal o que haveria para dizer?
Afundado na corrupção e nos desmandos este primeiro de maio foi opaco para o governo.
Nada a dizer!
A violência é crescente, a saúde publica piora dia-a-dia, o desemprego chega às alturas, direitos consolidados são sonegados ao trabalhador por conta do ‘ajuste fiscal’, a inflação não é mera figura de retórica. Ambíguo (talvez por isso), nem o marketing oficial salva a administração federal.
Nada a comemorar.
Por isto o silencio valeu ouro para um governo que até agora, neste segundo mandato, pouco fez de positivo.
O Brasil está quebrado, bilhões foram surrupiados a luz do dia à Petrobras. O BNDES foi usado à exaustão.
O primeiro de Maio foi de reflexão àqueles que não toleram o status quo. Há esperanças, dizem alguns. Mas será preciso muito. Para iniciar que o governo comece a governar. Em seguida mudanças concretas, sem paliativos. É necessário falar a verdade, reconhecer os erros e desistir do marketing enganoso que somente faz bem aos inquilinos do Palácio do Planalto, adjacências e a alguns incautos.

Policarpo
“Iria morrer, quem sabe se naquela noite mesmo? E que tinha ele feito de sua vida? Nada. Levara toda ela atrás da miragem de estudar a pátria, por amá-la e querê-la muito, no intuito de contribuir para a sua felicidade e prosperidade”.
O personagem de o ‘Triste fim de Policarpo Quaresma’, de Lima Barreto, se questionava sobre a validade de conhecer os nomes dos heróis do Brasil, as coisas do folclore, da língua, dos rios, desde os seus 18 anos. Sua conclusão era que nada de útil lhe havia trazido a sua vida, até então.

Policarpo II
Policarpo Quaresma sempre me vêm à cabeça quando, tal como vocês, leio e ouço disparates e malfeitos da política brasileira, caso dos assaltos aos cofres públicos perpetrados pelos envolvidos no Petrolão.
Esses rapinadores dos cofres da Nação nada têm de nobres, passam ao largo de Policarpo, que no leito de morte se arrependia de tantas coisas vãs havia perseguido ao longo da vida, ainda que com convicção, própria dos puros de coração, desgarrados das coisas da matéria.

Policarpo III
O personagem de Lima Barreto é a antítese do que são esses predadores do dinheiro do contribuinte, do menor ao maior escalão da república ou do parlamento, metidos nas maracutaias que só no maquiado balanço da estatal se revelou em mais de seis bilhões de reais.
Na triste realidade da política brasileira atual, sobram ladrões.
Os ‘Policarpos’, estão em falta!

Eduardo
Deputado Eduardo Loureiro dando continuidade a sua atividade parlamentar. Com uma visão constante e ampliada sobre os recorrentes problemas de Santo Ângelo e da região, os tem atacado na busca de soluções.
Dias atrás, manteve contatos com agentes públicos ligados à área da energia elétrica tratando de temas de interesse local e regional.
Acertou futuro encontro com o presidente da Eletrobrás, Valdemar Cardeal. Na agenda as usinas de Garabi e Panambi. Nesta semana manteve audiência pública com o secretario dos Transportes e diretor do DAER tratando dos acessos asfálticos.

Lavagem
O marqueteiro-chefe do PT, João Santana, está sendo investigado pela Policia Federal. PF suspeita que Santana tenha lavado dinheiro para o partido. Em 2012 ele repatriou da Angola 16 milhões de dólares, suspeitos de fazerem parte da operação de lavagem de dinheiro para beneficiar ao PT.
O marqueteiro vem negando a operação através de um site criado para a finalidade.

Alinhamento
Fundadora do PDT, Licia Peres, cobra da direção partidária posição dos deputados favorável ao projeto de Terceirização. Ela e trabalhistas históricos não se conformam com posições pró-alinhamento com agendas conservadoras.

Impostos
Aumentar ou não impostos é a posição a ser escolhida pela administração estadual. Correntes são favoráveis a que se aumentem impostos para tentar enfrentar os compromissos e tapar os buracos do tesouro do RS.
Setores empresariais também tem se posicionado a favor desde que os tributos revertam para melhorias em serviços públicos, em infraestrutura e setores vitais como saúde, segurança e educação. Polêmico deve aportar na Assembleia nos próximos dias.

Desmoralizado
“Era um partido importante mobilizou forças jovens no Brasil, mas se desmoralizou”. Opinião de FHC sobre o momento do PT.

Panelaço
Horário Político de terça-feira, 5, ocupado pelo PT, saudado por panelaços, buzinaços e gritos de fora Lula e Dilma.

Reflexão de fim de semana
“A vida gosta que a peguem pela lapela e lhe digam: ‘Estou contigo. Vamos em frente.” (Maya Angelou)