Segundo turno

0
132

As pesquisas ‘erraram’ tanto nos levantamentos pré-eleição quanto na boca de urna. Foi nota baixa nesta campanha em que Aécio Neves e Dilma Rousseff, Tarso Genro e José Ivo Sartori vão se enfrentar no segundo turno, no dia 26.
Demonstração clara dos ‘erros’ de pesquisa foi a vitória de José Ivo Sartori (40,40% dos votos válidos).
Vai para o próximo turno pensando em manter a votação alcançada, melhorando-a com novas adesões.
O ‘Sartorão da massa’ poderá repetir Germano Rigotto, em 2002, eleição em que Tarso foi derrotado.

Segundo turno II
Tarso Genro (32,57%), que cresceu no final da campanha depois de várias semanas atrás de Ana Amélia, sabe que enfrentará uma nova eleição. Não terá em quem bater, como fez no primeiro turno com a pepista, que não soube responder à altura e pagou com um terceiro lugar. Tentará desconstruir Sartori. Já o acusou de fugir do debate no primeiro turno e atacará o denominado ‘gringo que faz’.
Mas terá, também, de defender o seu governo.
Não será uma campanha fácil para Tarso ou Sartori. Ambos terão tempo de TV e rádio iguais, de 10 minutos.
Quinta-feira começou a propaganda gratuita de rádio e TV.

Campanha
Não há como esperar uma campanha presidencial pacífica no segundo turno. De curta duração, tudo o que tiver de ser dito o será sem perda de tempo. No meio da batalha, da informação e contrainformação, verdades, mentiras, boatos, fica o eleitor, que só quer escolher o melhor.
Será um segundo turno proibido para cardíacos. Arsenais de Dilma e Aécio lotados. Redes sociais serão muito usadas. Ruim da rede é que você pode dizer o que quiser, mentir livremente, forjar imagens e situações, atacar, caluniar, que no mais das vezes fica por isso mesmo.
Nesta guerrilha de boatos, verdades e meias verdades, quem vencerá?
Certamente não quem mentir menos, mas quem disser verdades, for mais coerente, respeitar a inteligência do eleitor. Ele prefere projetos de trabalho, cansado de bravatas intimidatórias, do tipo das partidas de radicais, como João Stédile, do MST, que irresponsavelmente (para dizer pouco) promete ‘guerra’ caso Aécio ganhe.

Assembleia
Santo Ângelo recuperou sua representatividade no contexto estadual com a espetacular eleição de Eduardo Debacco Loureiro à Assembleia, com 60.816 votos. No município, percentualmente, sua votação alcançou estupenda marca de 62,06%. Numericamente, foram 28.399 votos.
É recordista de votos da história política local e regional. Esses números fenomenais o colocam na 8ª posição entre os eleitos e como 2º na bancada do PDT.
Votação resulta da sua constante busca pelo desenvolvimento da cidade e da região. Quando esteve no comando político-administrativo do município, soube interpretar os anseios comunitários.

Pimenta
Doleiro Alberto Youssef promete apimentar segundo turno.
Há tempos, afirmou que o dinheiro desviado da Petrobras era para sustentar os aliados PT, PMDB e PP. Youssef guarda no cofre a contabilidade das milionárias cifras desviadas e quem as pagou.
Impacto negativo que causará à campanha petista ainda é imensurável.
Pesa sobre Dilma crença generalizada do seu fracasso na economia e infraestrutura do País. Terá de sair do discurso e demonstrar que seu eventual segundo mandato será livre de corrupção, dentro e fora do governo, e melhorar votação, a mais fraca nos 12 anos em que o PT está no poder.

Fundimisa
Certa vez, comentando a necessidade da reinserção de Santo Ângelo na industrialização, sugeri que seus gestores convidassem os donos das poupanças do município a investir no produtivo, mediante incentivos fiscais, e em projetos, embasados em estudos. Primeiro passo seria criar uma agência de fomento, ou similar.
Hoje a URI prepara-se para implantar uma incubadora de empresas. Paradoxalmente, quando se anuncia ingresso na modernidade, na inovação, aventa-se possível perda da nova planta industrial da Fundimisa, símbolo do Santo Ângelo do visionário Siegfried Ritter.
A distância, estranhei o impasse.

Fundimisa II
Seria a perda de centenas de empregos, geração de impostos, sobremodo atingindo seu já abalado poder econômico-social e sua autoestima.
Soube, mais tarde, que, para resolver o impasse, estiveram reunidos representantes da indústria e do Comude.
Dessa reunião, informa-se, empecilhos para que o projeto de expansão seja executado em Santo Ângelo poderão ser contornados e a Fundimisa poderá implantar seu projeto de mais de R$ 30 milhões, criando novos empregos.
Trata-se de assunto que não pode ser olhado desatentamente, mas apoiado, por sua relevância.

Postura
No Facebook, postagem de Juliane Rigo Schneider narrando que o pneu do carro furou, levou-o a conserto e, comparativamente ao esforço, custo lhe pareceu irrisório.
Para ela, a tarefa executada por um casal de idosos, a troco de R$ 6, merecia mais, e ela resolveu aumentar o pagamento.
Chamam a atenção algumas coisas, pouco corriqueiras. Maior delas, velhos executando tarefa de retirar e recolocar a roda do veículo. Pessoas, necessitadas, avançadas em anos, executando tarefas duras, cobrando pouco pelo esforço despendido.
Saúde-se o sentido social e o amor ao próximo demonstrado pela cliente.
Nem tudo está perdido. Respeito ao ser humano e amor ao trabalho ainda existem.

Diversas
Com votação acima do previsto pelos institutos, Aécio preocupa marqueteiros petistas. Mesmo que Lula da Silva tenha dito preferi-lo a Marina, ida ao segundo turno não foi como desejado. Aécio conquistou 33,5% do eleitorado, superior ao previsto. Os 41% de Dilma são inferiores aos da eleição passada, com 47,6%.
*****Cajar Nardes, com 55.434 votos, é primeiro suplente à Câmara federal. Irmão Reus Nardes, concorrendo à AL, conseguiu 5.962 votos, metade no município.
*****FMI reduziu a 0,3% a previsão de crescimento do Brasil. É o pior desempenho desde 2009.
*****Ex-governador Collares abre voto para Tarso.
*****Fim da reeleição, realinhamento às propostas econômicas e de meio ambiente podem levar Marina a apoiar Aécio.
*****Tarso e o segundo turno: ‘Vamos comparar projetos’.
*****Cúpula do PDT libera eleitores. O PP vai com Sartori.
*****Ministro Augusto Nardes comunicando que o TCU recebeu da revista Exame o título de “Melhor instituição pública para trabalhar do Brasil”.