Espelho

0
126

Gostaria de partilhar hoje como vocês meu “mais novo endereço” (entre outros tantos), para divulgação e marketing dos “meus escritos,” que pretendo intensificar já no decorrer de 2012. Trata-se do Projeto Google+, que é aberto para visualização na internet, e qualquer pessoa pode acessar, independente de ser um “adicionado” ou não. O endereço oficial é:

https://plus.google.com/117434267336673240940/posts mas se escrever meu nome no pesquisador ele levará direto até Régis Mubarak – Perfil do Google. Então deixo o convite, para quando sobrar um tempinho, vocês darem uma espiadinha até lá… ainda está no estágio inicial, mas confesso que ficou tri fofinho!

A seguir a (mais recente) Poesia premiada em Concurso, intitulada Espelho.
Acompanhou todas as cenas
obscenas ou não.
Naquele canto imóvel, discreto, insignificante.
Observou todos os atos e
os fatos que se sucederam.
Discussões, emoções, traições,
crises existenciais – decadência moral –
Participou de tudo sem fazer parte de nada
cumpriu somente o seu dever:
REFLETIR.
Refletir a beleza, fiel a todos,
realçar traços, sem acrescentar contornos
nem omitir detalhes.
Uma obrigação, uma tarefa e era só…
Acompanhou as fases degenerativas do ser,
o retrocesso da evolução
sinais de maturidade,
estrias de vaidade e a velhice,
o começo do fim.
A audácia dos novos e a lentidão dos velhos.
Mas não foi ele o responsável por nada, do que
aconteceu ou do que deveria ter acontecido…
Ele não existia, não era nada,
só um espelho – reflexo de vidas vividas –
Naquele canto imóvel, discreto, insignificante.